PRÁXIS CLÍNICA: A PSICOTERAPIA COMO MOVIMENTO DIALÉTICO FRENTE À DESIGUALDADE SÓCIO-SEXUAL

  • Edna Maria Severino Peters Kahhale
  • Jeferson Renato Montreozol
Palavras-chave: práxis clínica, psicoterapia, dialética, consciente-inconsciente, sexualidade

Resumo

O presente trabalho teórico objetiva discutir a psicoterapia como práxis dialética frente à desigualdade sócio-sexual. Abordamos a dialética consciente-inconsciente tomando a consciência como conjunto de funções e processos que possibilitam ao sujeito conhecer e agir sobre a realidade, e o inconsciente a partir dos aspectos culturais, enquanto pólo de uma mesma relação com a consciência. Compreendemos que tais instâncias do psiquismo se relacionam com a sexualidade por meio de configurações e processos não-verbais (sentimentais-emocionais), permitindo ao sujeito desenvolver suas identificações sexuais mesmo sem compreendê-las. A partir dos pressupostos da pesquisa qualitativa discutimos a historicidade da prática clínica e possíveis implicações do método materialista histórico-dialético à psicoterapia. Apontamos a necessidade da práxis psicoterápica possibilitar o movimento da inconsciência da realidade para a consciência social-sexual, uma posição política que pode potencializar o pensamento e a ação dos sujeitos.

Palavras-chave: Práxis Clínica; Psicoterapia; Dialética; Consciente-Inconsciente; Sexualidade.

Publicado
20-05-2020
Seção
Dossiê Psicologia Sócio-histórica