EXPERIÊNCIA E (DES)IDENTIFICAÇÃO NO ENFRENTAMENTO DE DESIGUALDADES E PRECONCEITOS NA PERCEPÇÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

  • Frederico Viana Machado
  • Luciana Barcellos Teixeira
  • Lisiane Boêr Possa
Palavras-chave: desigualdade, preconceito, atenção básica, intervenção psicossocial, agentes comunitários de saúde

Resumo

Este artigo discute tematizações sobre o preconceito no discurso de trabalhadores da saúde que cursaram o Projeto Caminhos do Cuidado, identificando efeitos que colaboraram para a superação destas relações com relação a usuários de álcool e outras drogas. Utilizamos metodologia qualitativa, com análise de conteúdo. A análise se baseou em dados provenientes de 78 rodas de conversa e 39 registros etnográficos, ocorridas nas 27 Unidades Federativas do Brasil. Os dados descrevem movimentos reflexivos dos trabalhadores que possibilitaram o enquadramento de relações identitárias para além de crivos morais e da essencialização dos sujeitos. Nossos resultados apontam a importância da experiência para a desconstrução de estereótipos e preconceitos, por produzir processos de desidentificação necessários para a superação de preconceitos. Destaca-se a importância do Agente Comunitário de Saúde, como o profissional estratégico para o trabalho com a temática do preconceito nos territórios.

Palavras-chave: Desigualdade; Preconceito; Atenção Básica; Intervenção Psicossocial; Agentes Comunitários de Saúde;

Publicado
20-05-2020
Seção
Dossiê Psicologia Sócio-histórica