O QUE PODEMOS APRENDER COM OS AUTISTAS: A EXPERIÊNCIA CLÍNICA DE UMA PROFESSORA DO ENSINO FUNDAMENTAL E UM ALUNO AUTISTA

  • Patrícia Fernandes de Carvalho PUC Minas
Palavras-chave: Educação inclusiva. Alfabetização. Autismo.

Resumo

Este artigo tem como objetivo refletir o conceito de inclusão sob duas perspectivas: a educação inclusiva e o direito à educação especial, garantida por lei na Constituição Brasileira de 1988, e a inclusão, segundo o conceito psicanalítico, considerando o que podemos aprender com os autistas em uma experiência escolar. Para tanto, buscaremos, nos estudos de Freud, o conceito de impossibilidade na esfera do educar. Também usaremos as referências psicanalíticas de orientação lacaniana que demonstram, na estrutura autística, a importância no apoio do duplo na constituição de uma borda e construção de um Outro sob medida para o sujeito. Este texto apresenta vinhetas clínicas narradas por uma professora do ensino fundamental, demonstrando o que os autistas nos ensinam.

Biografia do Autor

Patrícia Fernandes de Carvalho, PUC Minas

Mestra em Educação com Orientação em Gestão de Inovações Curriculares pela USAL, Buenos Aires; especialista em Abordagem Pscicanalítica do Autismo e Suas Conexões (Instituto de Educação Continuada da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - IEC-PUC MINAS), especialista em Alfabetização e Letramento (Ipemig), especialista em Educação Inclusiva (Ipemig), graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Publicado
29-09-2020
Seção
Dossiê Autismo e Psicanálise