ENTRE O DESISTIR E O RESISTIR: NOTAS SOBRE O COTIDIANO DOCENTE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

  • Simone Mainieri Paulon
  • Ariadne Cedraz
Palavras-chave: Narrativa Ficcional; Niilismo; Resistência; Trabalho Docente; Criação;

Resumo

O artigo intenta evidenciar uma dimensão sensível das práticas
educacionais, por meio de uma estilística não estandardizada de produção
de conhecimento. O texto-script permeia o fazer artístico de uma atriz, ao
mesmo tempo em que revela o palco-sala de aula onde se encena o fazer
docente, corporificando dilemas existenciais contemporâneos do trabalho
com educação. O exercício da escrita ficcional, como propõem Bottoni
e Costa, configura a estratégia metodológica que costura o estudo. Esta
estratégia objetiva revelar paradoxos de uma prática profissional diante
do niilismo predominante que toma os corpos dos atores, no contexto
definido por Han como “sociedade do cansaço”. Como criar movimentos de
resistência onde apenas parece haver cansaço? Como inventar linhas de fuga
quando tudo parece convidar à desistência? Esses são os questionamentos
que se insinuam ao longo do enredo, chamando à análise acerca do educar
em tempos que não somente convidam à desistência, mas também incitam
resistências.

Biografia do Autor

Simone Mainieri Paulon

Professora do Pós-Graduação em Psicologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Ariadne Cedraz

Doutoranda do Pós-Graduação em Psicologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Publicado
16-02-2021
Seção
Dossiê resistência e criação