Marcas do amor romântico e violência conjugal: uma análise a partir do “sequestro? do ônibus 499 / Traces of romantic love and conjugal violence: an analysis based on the kidnapping of bus 499

  • Teresa Cristina O. Carreteiro
  • Cristine Monteiro Mattar
Palavras-chave: Mulher, Violência conjugal, Amor romântico, ?ntimo, Público / Woman, Conjugal violence, Romantic Love, The private, The public.

Resumo

Resumo

Este texto analisa a violência conjugal por meio de um fato de grande repercussão na imprensa: o sequestro de um ônibus no Rio de Janeiro. Acompanhando as notícias de vários periódicos do Estado, o acontecimento é apresentado, e a análise se detém sobre as formas de interpretar, sob duas perspectivas, o episódio: a do íntimo, em que se destacam os ideais românticos a respeito do amor, e do público, a qual se remete à necessidade de intervenção institucional sobre a violência. Alguns meses após a ruptura com a violência, por intermédio da separação conjugal e da intervenção institucional, o casal reaparece nas manchetes, desta vez para anunciar a sua reconciliação motivada pelo amor. Essa trajetória mostra-nos toda a complexidade e ambivalência desse fenômeno, impedindo-nos de lançar mão de fórmulas prontas ao buscarmos compreendê-lo.

Abstract

This is an analysis of conjugal violence based on a fact of great repercussion in the press: the kidnapping of a bus in Rio de Janeiro. Following the news on various newspapers in the State, one notices that, as the fact is presented, the analysis focuses on ways of interpreting it in the perspective of private life, with emphasis on the romantic ideal of love, as well as of public life, with the need of institutional intervention on violence. Some months after the rupture with violence, through conjugal separation and institutional intervention, the couple reappeared on the headlines, this time to announce their reconciliation motivated by love. This path points out all the complexity and ambivalence of the phenomenon, preventing us from using ready-made formulas in our attempt to understand it.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
12-03-2009
Seção
Artigos / Articles / Artículos