AGLOE: a cidade decorrente das representações espaciais cartográficas

Gustavo Augusto Andrade de Oliveira, Pamela Pereira Pedra, Amanda Rodrigues Mapa

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a cidade ficcional de Agloe, Nova York, enquanto fenômeno cartográfico, à luz da produção de sua espacialidade. Para isso, uma discussão do romance, Cidades de
Papel, de John Green e pesquisas acerca da história de Agloe são combinadas, revelando os trâmites envolvidos na cartografia, sobretudo nas representações espaciais - o mapa - que carregam elementos geográficos de papel. Este artigo explica como a existência de Agloe exemplifica a influência socioespacial que os mapas têm na vida cotidiana e sua relevância como instrumentos cartográficos.


Palavras-chave


Cartography. Paper Towns. Agloe.

Texto completo:

PDF

Referências


BILGILER, B. La grande illusion: do maps tell the truth? 2015. 52f. Tese (Doutorado). Department of Geomatics Engineering of Istanbul Technical University – Faculty of Civil Engineering, Istambul. Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2017.

CARVALHO, M. S. de. A geografia desconhecida. Londrina: EDUEL, 2006. 145 p.

FITZ, P. R. Geoprocessamento sem complicação. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 160 p.

FRANCISCHETT, M. N. A cartografia no ensino de geografia a aprendizagem mediada. Tese de Doutorado, UNESP Presidente Prudente, Programa de Pós-graduação. 217f. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2016.

FREIRE, N. C. F.; FERNANDES, A. C. de A. Mapas como expressão de poder e legitimação sobre o território: uma breve evolução histórica da cartografia como objeto de interesse de distintos grupos sociais. Portal da Cartografia, Londrina v. 3 n. 1, 2010. Disponível em: Acesso em: 15 nov. 2016.

GREEN, J. Paper towns. London: Bloomsbury Publishing Plc, 2010. 305 p.

GREEN, J. Paper towns and why learning is awesome. YouTube, 22 de julho de 2015. Disponível em: Acesso em: 7 nov. 2016.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Noções básicas de cartografia, 2006. Disponível em: Acesso em 08 nov. 2016.

KRULWICH, R. An imaginary town becomes real, then not. True Story. NPR. 2014. Disponível em: Acesso em: 08 nov. 2016.

LACOSTE, Y. A geografia – isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Tradução de Maria Cecília França. 19ª ed. Campinas: Papirus, 2012. 240 p.

LOCH, R. E. N. Cartografia: representação, comunicação e visualização de dados espaciais. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2006. 313 p.

LONGO, V. A. A. A história da cartografia e suas contribuições para a linguagem cartográfica nas séries do ensino fundamental. Monografia especialização em geografia, UNESP Presidente Prudente, Rede São Paulo de formação docente – REDEFOR, Curso de especialização em geografia. 21f. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2016.

MILLWARD, D. Putting Agloe on the map: the tale of a town that never was. The Telegraph. 2014. Disponível em: Acesso em: 08 nov. 2016.

MONMONIER, M. How to lie with maps. 2. ed. Chicago: University of Chicago Press. 1996. 207 p.

MOSS, L. 'Paper Town' and other lies maps tell you. MNN. 2015. Disponível em: Acesso em: 08 nov. 2016.

ROBERTS, S. Seeking a town on the border of fiction and reality. The New York Times. 2014. Disponível: Acesso em: 08 nov. 2016.

SCHREIER, J. Cidades de papel. YouTube, 08 de outubro de 2015. Disponível em: Acesso em: 7 nov. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.