O desenvolvimento da consciência moral dos estudantes

  • Sérgio Murilo Rodrigues UEMG
Palavras-chave: Moralidade. Consciência. Piaget. Autonomia. Kant.

Resumo

O objetivo da pesquisa é investigar a pertinência do desenvolvimento de uma consciência moral nos estudantes dentro do espaço escolar. Entende-se aqui que esse desenvolvimento deva começar já nas primeiras séries com as crianças. A pesquisa investigou a possibilidade e a importância de haver um desenvolvimento da consciência moral e se isso deve ocorrer no espaço escolar. Esta visão se contrapõe às concepções inatistas da moralidade e àquelas que atribuem exclusividade para o ambiente familiar na formação da consciência moral. Entendemos que a possibilidade de mensuração nos permite falar em desenvolvimento progressivo da consciência moral. O referencial teórico da pesquisa é a teoria de Jean Piaget (1896-1980).

Biografia do Autor

Sérgio Murilo Rodrigues, UEMG
Professor de Filosofia

Referências

BERTI, Amélia Dolores. A moral no enfoque cognitivo: uma abordagem pedagógica. Coletânea: cultura e saber, Caxias do Sul, RS, v.2, n. 2 , p.47-61, nov. 1998.

HABERMAS, Jürgen. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

KANT, Immanuel. Textos selecionados. São Paulo: Abril Cultural, 1980. (Os Pensadores)

MILNITSKY-SAPIRO, Clary. Teorias em desenvolvimento sociomoral: Piaget, Kohlberg e Turiel - possíveis implicalções para educação moral na educação médica. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v.24, n. 3, p. 7-15, out./dez. 2000.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Disponível em: https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2018/10/DUDH.pdf . Acesso em: 28 mar. 2020.

PIAGET, Jean et al. Cinco estudos de educação moral. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996.

PIAGET, Jean. O juízo moral na criança. São Paulo: Summus, 1994.

WAAL, Frans De. Eu, primata: porque somos como somos. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

WAAL, Frans De. Good natured: the origins of rigth and wrong in humans and other animals. Cambridge, Mass: Harvard University Press, 1996.

Publicado
16-12-2020