Os benefícios interacionais do uso do discurso reportado direto por uma pessoa com afasia

  • Mônika Miranda Oliveira Universidade Federal de Juiz de Fora
Palavras-chave: Afasia, Linguística, Interação, Discurso reportado direto,

Resumo

Este estudo objetiva investigar os benefícios interacionais do uso do discurso reportado direto por uma pessoa com afasia, fundamentando-se em abordagens interacionais em linguística (Tannen, 1989; Schely-Newman, 2009) e afasia (Hengst et al., 2005; Wilkinson et. al, 2010). A análise dos dados de fala revela: construção de enunciados inteligíveis, turnos sem atraso e narrativas; inclusão da fala de personagens ausentes na interação; polidez; e gerenciamento da comunicação. Conclui-se que tais benefícios interacionais poderiam não ser alcançados sem o uso do discurso reportado direto devido às limitações impostas pela afasia.

Referências

COUDRY, Maria Irma Hadler. Diário de Narciso: discurso e afasia. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. Original publicado em 1988.

GOLDSTEIN, Kurt. Language and Language Disturbances. New York: Grune and Stratton, 1948.

GUMPERZ, J. J. On Interactional sociolinguistic method. In: Sarangi & Robert, Talk, work and institutional order. Berlin, New York: Mouton Gruyter. (pp. 453-471), 1999.

HENGST, Julie A.; FRAME, Simone R.; NEUMAN-STRITZEL, Tiffany;

GANNAWAY, Rachel. Using Others’ Words: Conversational Use of Reported Speech by Individuals With Aphasia and Their Communication Partners. Journal of Speech, Language, and Hearing Research, v. 48, p. 137-156, Feb. 2005.

JACKSON, John Hughlings. Selected Writings of John Hughlings Jackson. James Taylor (Ed.). London: Hodder and Staughton, 1931.

LANINI, Aline Gruppi; OLIVEIRA, Mônika Miranda de; VIEIRA, Amitza Torres. A utilização da prosódia por uma pessoa com afasia como um recurso para lidar com o déficit linguístico. Gatilho, Juiz de Fora, UFJF, ano 5, v. 10, p. 1-21, jun., 2010.

MURDOCH, Bruce E. Desenvolvimento da fala e distúrbios da linguagem – uma abordagem neuroanatômica e neurofisiológica. Rio de Janeiro: Revinter, 1997.

OLIVEIRA, Mônika Miranda de. O uso do discurso reportado direto por uma pessoa com afasia: um estudo à luz da interface entre as vertentes linguísticas cognitiva e interacional. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2011.

OLIVEIRA, Livia Miranda de; OLIVEIRA, Mônika Miranda de. O uso do discurso reportado direto por uma pessoa com afasia na construção de uma narrativa. Revista CEFAC, v. 16, n. 1, p. 131-146, jan./fev. 2014.

PENN, Claire. Compensation and language recovery in the chronic aphasic patient.In: Aphasiology, v. 1, p. 235-245, 1987.

SACKS, Harvey; SCHEGLOFF, Emanuel A.; JEFFERSON, Gail. A Simplest Systematics for the Organization of Turn-Taking for Conversation. Language, v. 50, n. 4, p. 696-735, Dec. 1974.

SCHELY-NEWMAN, Esther. Defining Success, Defending Failure: Functions of Reported Talk. Research on Language and Social Interaction, v. 42, n. 3, p. 191-209, 2009.

SCHIFFRIN, Deborah. Discourse markers. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

SCHIFFRIN, Deborah. Interactional Sociolinguistics. In: SCHIFFRIN, Deborah. Approaches to Discourse. Oxford: Blackwell publishers, 1994.

TANNEN, Deborah. “Oh talking voice that is so sweet”: constructing dialogue in conversation. In: TANNEN, Deborah. Talking voices. Cambridge: Cambridge University Press, 1989.

WILKINSON, Ray; BEEKE, Suzanne; MAXIM, Jane. Formulating Actions and Events With Limited Linguistic Resources: Enactment and Iconicity in Agrammatic Aphasic Talk. Research on Language & Social Interaction, v. 43, n. 1, p. 57-84, jun. 2010.

Publicado
28-01-2016
Seção
Dossiê interação, formação e ação profissional