O jovem antero

  • Cleonice Berardinelli UFRJ
Palavras-chave: Poesia, Primaveras românticas, Raios de extinta luz, Poesia de Juventude,

Resumo

Neste ensaio pretende-se salientar uma pane da poesia anteriana que não tem sido valorizada: a poesia da Juventude. Percorrendo as páginas das Primaveras românticas e relendo alguns poemas de Raios de extinta luz, pode-se facilmente verificar a preocupação do autor em variar os metros, misturá-los no mesmo poema ou na mesma estrofe, procurando adequá-los aos temas abordados. É também de notar a utilização/não utilização das rimas, os discretos mas expressivos jogos de palavras, as imagens inovadoras e por vezes bastante ousadas. Além destes pontos, que dizem mais respeito ao nível da expressão, relevaram-se alguns temas por ele abordados e mais tarde relegados ao quase total esquecimento, tais como o do amor que oscila entre o filial e o marcadamente sensual, de que são exemplos alguns poemas da primeira juventude. Procurou-se, numa leitura atenta, chamar a atenção dos leitores de Antero para uma face que se tem mantido quase sempre na sombra, obscurecida pela perfeição dos sonetos, dos quais alguns datam da sua extrema juventude.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
21-03-1997
Como Citar
Berardinelli, C. (1997). O jovem antero. Scripta, 1(1), 39-52. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/10141
Seção
Parte 1 - Diversa

Most read articles by the same author(s)