Machado de Assis: cerzidor de textos

  • Eliane Fernanda Cunha Ferreira UFMG
Palavras-chave: Tu só, tu, por amor..., Machado de Assis,

Resumo

Este texto tem por objetivo demonstrar os conceitos de interdisciplinaridade e intertextualidade a partir da análise da peça Tu só, tu, por amor... escrita por Machado de Assis. Embora esses termos literários possam estar bastante assimilados, o enfoque aqui buscado revela ou desvela a atuação do escritor brasileiro em uma de suas atividades literárias menos apreciadas pela crítica machadiana - a de dramaturgo.

Referências

ARAÚJO, Evandro. Interdisciplinaridade é desafio maior da Ciência. Jornal da UFMG, Belo Horizonte, n. 3, p. 7, ago. 1997.

ASSIS, Joaquim Maria Machado de. Teatro. Rio de Janeiro: W. M. Jackson, 1952, v.19, 429p. (Obras Completas de Machado de Assis, v. 19). Tu só, tu, puro amor. .. , p. 237-278.

CACCIAGLlA, Ma rio. Pequena história do teatro no Brasil. Trad. Carla de Queiroz. São Paulo: Edusp, 1986.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 7. cd. Belo Horizonte: Itatiaia, 1993. 2v.

CARDOSO, Marília Rothier. Do palco à página: um espetáculo entre aspas. In: SIMPÓSIOS DE LITERATURA COMPARADA, 1/2., 1987, Belo Horizonte. Anais ... Belo Horizonte: Ed. UPMG, 1987, v. 1, p. 412-418.

DÄLLENBACH , Lucien. lntertexto e autotexto. Trad. Clara Crabbé Rocha. lntertextualidades - Revista de Teoria e Análises Literárias, Coimbra: Almedina, n. 27, p. 51-76, 1979.

ENCYCLOPEDIA E DICCIONARIO INTERNACIONAL. Rio de Janeiro: W. M. Jackson, [19--]. v. 4, p. 2.035.

FERREIRA, Eliane Fernanda Cu n ha. Machado de Assis sob as luzes da ribalta. São Paulo: Editorial Cone Sul, 1998.

GIL VICENTE. Obras completas. 6. cd. Lisboa: Sá da Costa, 1978.

GUINSBURG, J., RIBEIRO, Maria Augusta H . W. A consciência do espetáculo no espetáculo da consciência. In: SILVA, Armando Sérgio (Org.). Diálogos sobre teatro. São Paulo: EDUSP, 1992, p. 203-2 14.

JACKSON, David K. Madness in a Tropical Manner. Book Review The New York Times, 22 fev., 1998. Suplemento Literário.

LAURENT, Jenny. A estratégia da forma. Trad. Clara Crabbé Rocha. Intertextualidades - Revista de Teoria e Análises Literárias, Coimbra: Almedina, n. 27, p. 5-49, 1979.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. Trad. José Teixeira Coelho Neto. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1995.

PEIXOTO, Afrânio. O s Lusíadas. São Pau lo: W. M. Jackson, 1970. Prefácio. 427p., p. VXXIII. (Clássicos Jackson, n. 7).

PERRONE-MOISÉS, Leyla. A intertextualidade crítica . Trad. Clara Crabbé Rocha. Intertextualidades - Revista de Teoria e Análises Literárias. Coimbra: Almedina, n. 27, p. 209-230, 1979.

PINTO, Júlio. 1, 2, 3 da semiótica básica. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1995.

PONTES, Joel. Machado de Assis e o teatro. Rio de Janeiro: Campanha Nacionai de Teatro e MEC, 1960.

RIBEIRO, Maria Augusta H. W Machado de Assis; um teatro de figuras controversas. São Paulo: Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, 1989. (Tese, Doutorado em Ciências da Comunicação).

ROSENFELD, Anatol. O teatro épico. São Paulo: Perspectiva, 1985.

SCHWARZ, Roberto. Que horas são? Ensaios. São Paulo: Cia das Letras, 1987. p. 165- 178.

ZUMTHOR, Paul. A encruzilhada dos "rhétoriques"- intertextualidade e retórica. Trad. de Clara Crabbé Rocha. lntertextualidades - Revista de Teoria e Análises Literárias, Coimbra: Almedina, n. 27, p. 109- 146, 1979.

Publicado
22-03-2000
Como Citar
Ferreira, E. F. C. (2000). Machado de Assis: cerzidor de textos. Scripta, 4(6), 66-73. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/10336
Seção
Dossiê: Machado de Assis