O sertão e o mar: Guimarães Rosa e Melville (rotas e roteiros)

  • Heloisa Vilhena de Araujo

Resumo

Opresente é um ensaio comparativo entre o lugar em que se desenvolve o enredo de Grande sertão: veredas, de João Guimarães Rosa – o sertão de Minas Gerais, Goiás e Bahia –, e aquele em que se desenrola a ação de Moby-Dick, de Herman Melville – o mar. Toma-se como ponto de partida e como estrutura que suporta a interpretação dos dois textos aquilo que Martin Heidegger, em seu curso do semestre do inverno de 1942-43 na Universidade de Freiburg, sobre o poema de Parmênides, chamou de τοπος – o lugar, conforme pensado pelos gregos. Sertão e mar seriam, a partir dessa estrutura interpretativa, palavras míticasque designam o lugar em que se enraiza o ser humano enquanto ser histórico.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGOSTINHO, Santo. Confissões. London: Penguin Classics, 1961.

BLOOM, Harold (Ed.). Herman Melville. New York: Chelsea House Publications, 1986.

HEIDEGGER, Martin. Parmenides. Bloomington: Indiana University Press, 1998.

LEVIN, Harry. The Power of Blackness. Athens: Ohio University Press, 1980.

LEVINE, Robert S. (Ed.). The Cambridge Companion to Melville. Cambridge: CUP, 1998.

MELVILLE, Herman. Moby-Dick. New York: Bantam Books, 1981.

PAVESE, Cesare. La letteratura americana e altri saggi. Torino: Einaudi, 1990.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1970.

Publicado
21-03-2002
Como Citar
Vilhena de Araujo, H. (2002). O sertão e o mar: Guimarães Rosa e Melville (rotas e roteiros). Scripta, 5(10), 143-157. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12392