"Para trás da serra do mim"

  • Leyla Perrone-Moisés
Palavras-chave: Lugares da memória, Neuroses, Sociedade, Psicoses.

Resumo

Prosseguindo o trabalho que tenho desenvolvido acerca do lugar do inconsciente na obra rosiana, esta comunicação trata do lugar dos “loucos”. As personagens de “Nenhum, nenhuma” e “Lá, nas campinas”, por mim estudados anteriormente, manifestam uma perturbação nas relações de seus eus atuais com lembranças obsessivas de lugares lembrados (relações neuróticas). Em outros contos, encontramos personagens que sofrem uma perturbação nas relações de seus eus com o mundo exterior, ou social (relações psicóticas). Pretendo analisar o modo como Guimarães Rosa desenvolve essa “tópica da loucura” nos seguintes contos: “Sorôco, sua mãe, sua filha”, “A terceira margem do rio” e “Darandina”.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

FOUCAULT, Michel. Histoire de la folie à l’âge classique. Paris: Gallimard, 1972.

FREUD, Sigmund. Névrose et psychose (1924). In: FREUD, Sigmund. Névrose, psychose et perversion. Paris: PUF, 1973.

LACAN, Jacques. Télévision. Paris: Seuil, 1974.

ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1962.

Publicado
21-03-2002
Como Citar
Perrone-Moisés, L. (2002). "Para trás da serra do mim". Scripta, 5(10), 210-217. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12398