Guimarães Rosa: o diálogo difícil

  • Milton Hatoum
Palavras-chave: Intertextualidade, Dialogismo, Confluências, Entrelinhas.

Resumo

Não é nada fácil manter um diálogo com a obra de um autor como João Guimarães Rosa. O risco da imitação pobre ou do pastiche pode minar o esforço e a intenção dos admiradores de uma obra marcada por uma espessura expressiva e uma visão mitopoética incomuns. No limite, a linguagem de Rosa é inimitável. No entanto, como acontece com toda obra literária complexa, é possível captar algo da sensibilidade, das imagens e do forte poder sugestivo latentes na linguagem rosiana. Um diálogo com o seu universo lingüístico e temático talvez seja possível por meio de insinuações, acenos e sinais. Diálogo, portanto, sensível e intelectual ao mesmo tempo, que flui antes nas entrelinhas do que nas linhas propriamente escritas. Em suma, confluências...


Palavras-chave:Intertextualidade; Dialogismo; Confluências; Entrelinhas.

Publicado
21-03-2002
Como Citar
Hatoum, M. (2002). Guimarães Rosa: o diálogo difícil. Scripta, 6(10), 393-397. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12417