Cultura material, oralidade e simbologia. Existe uma filosofia em África?

  • Vicente Geraldo Amâncio Diniz Oliveira
Palavras-chave: Filosofia de vida, Pincípios éticos, Mosaico cultural.

Resumo

Considerando-se o modus vivendi africano, não há dúvida de que há uma visão de mundo que poderia se configurar como “Filosofia”. A valorização, tanto da cultura material como da riqueza espiritual e princípios éticos dos diversos grupos que compõem o mosaico cultural africano, evidencia o legado de gerações passadas às novas gerações. Mesmo não havendo uma sistematização do conhecimento, haveria, pois, uma filosofia de vida em que a herança cultural recebida é continuamente reelaborada e confrontada com a dinamicidade da realidade circundante, que se mostra em contínuo vir-a-ser.



Referências

AGUESSY, Honorat. Visões e percepções das culturas africanas. In: Introdução à cultura africana. Trad. Emanuel L. Godinho; Geminiano Cascais Franco; Ana Mafalda Leite. Lisboa: Edições 70, 1977.

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da cultura. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

DAVIDSON, Basil. Os africanos: uma introdução à sua história cultural. Trad. Fernanda Maria Tome da Silva. Lisboa: Edições 70, 1969.

I. SOW, Alpha et al. Introdução à cultura africana. Trad. Emanuel L. Godinho, Geminiano Cascais Franco, Ana Mafalda Leite. Lisboa: Edições 70, 1977.

Publicado
15-10-2003
Como Citar
Oliveira, V. G. A. D. (2003). Cultura material, oralidade e simbologia. Existe uma filosofia em África?. Scripta, 13(13), 368-373. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12535
Seção
Dossiê: Literaturas africanas de língua portuguesa