Uma teoria da leitura formulada pela literatura

  • Regina Zilberman
Palavras-chave: Leitura, Leitor, Literatura, Poesia, Público.

Resumo

Apoesia precedeu a leitura, embora não prescindisse da audiência, conforme a representa Homero, na Odisséia. A literatura foi inventada depois, mas acabou por sobrepor-se à poesia, passando a denominar a arte da palavra por inteiro. Impôs, com o tempo, uma teoria da leitura, que se reproduz a cada texto que se oferece ao leitor. Obras como O Ateneu, de Raul Pompéia, e Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust, são exemplares da explicitação de uma teoria da leitura determinada pela literatura, em particular pela narrativa de ficção. Em ambos os romances, as personagens vivenciam situações diferentes de leitura; ao mesmo tempo, os autores explicitam o modo como esperam ser lidos pelos destinatários a que se dirigem.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DUPONT, Florence. L’invention de la littérature. De l’ivresse grecque au text latin. Paris: La Découverte, 1998.

GARRETT, Almeida. Bosquejo da história da poesia e língua portuguesa. In: ZILBERMAN, Regina; MOREIRA, Maria Eunice. O berço do cânone. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1998.

HOMERO. Odisséia. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1960.

ISER, Wolfgang. O ato da leitura: uma teoria do efeito estético. Rio de Janeiro: Editora 34, 1996-1999. 2v.

ISER, Wolfgang. Teoria da Ficção: Indagações à obra de Wolfgang Iser. Org. de João Cezar de Castro Rocha. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 1999.

ISER, Wolfgang. The Fictive and the Imaginary. Charting Literary Anthropology. Baltimore/London: The Johns Hopkins University Press, 1993.

ISER, Wolfgang. The Implied Reader. Patterns of Communication in Prose Fiction from Bunyan to Beckett. Baltimore/London: The Johns Hopkins University Press, 1974.

JAUSS, Hans-Robert. História da literatura como provocação da ciência literária. São Paulo: Ática, 1994.

JAUSS, Hans-Robert. Aesthetic Experience and Literary Hermeneutics. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1982.

JAUSS, Hans-Robert. Pour une esthétique de la réception. Paris: Gallimard, 1978.

JAUSS, Hans-Robert. Question and Answer. Forms of Dialogic Understanding. Trad. de Michael Hays. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1989.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. A formação da leitura no Brasil. Porto Alegre: Ática, 1996.

PLATÃO. O banquete. Trad. Jorge Paleikat. Rio de Janeiro: Tecnoprint, [19--].

POMPÉIA, Raul. O Ateneu. Organização e notas de Afrânio Coutinho. Rio de Janeiro/ Brasília: Civilização Brasileira/Oficina Literária Afrânio Coutinho/Fename, 1981.

PROUST, Marcel. O tempo redescoberto. Trad. Lúcia Miguel Pereira. Porto Alegre: Globo, 1958.

Publicado
18-03-2004
Como Citar
Zilberman, R. (2004). Uma teoria da leitura formulada pela literatura. Scripta, 7(14), 225-232. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12558