Machado de Assis, Oswald de Andrade, Guimarães Rosa e Marques Rebelo: variações em torno do mesmo tema

  • Luiz Roncari
Palavras-chave: Guimarães Rosa, O amor no Grande sertão, veredas, O amor na literatura brasileira.

Resumo

Este trabalho tem em vista mostrar como, além das representações míticas, os três paradigmas amorosos do romance de Guimarães Rosa, Grande sertão: veredas, têm também fundamentos empíricos e sociológicos. Por outro lado, ele pretende revelar como tais paradigmas são muito mais estruturais e objetivos do que produtos só da fantasia do autor, por isso, estão muito presentes e difundidos na literatura brasileira.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, Oswald de. Memórias sentimentais de João Miramar/Serafim Ponte Grande. 6. e 5. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

ASSIS, Machado de. Singular ocorrência. In: Obra completa. v. II. 3. ed. Rio de Janeiro: Companhia José Aguilar, 1974. p. 390-395.

BASTIDE, Roger. Psicanálise do cafuné. In: Sociologia do folclore brasileiro. São Paulo: Anhambi, 1959. p. 305-321.

FRANCO, Afonso Arinos de Melo. Um estadista da República. 2. ed. Rio de Janeiro: MEC/Editora Nova Aguilar, 1976.

REBELO, Marques. A guerra está em nós. São Paulo: Martins Editora, 1968.

RONCARI, Luiz. O Brasil de Rosa: o amor e o poder. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

RONCARI, Luiz. Ficção e história: o espelho transparente de Machado de Assis. Tereza – Revista de literatura brasileira. São Paulo: 1, p. 139-154, 1. sem. de 2000.

RONCARI, Luiz. Machado de Assis: o aprendizado do escritor e o esclarecimento de Mariana (trab. apresentado no 1º Simpósio Internacional Eça & Machado de Assis, PUCSP e Unicamp, em 17 de setembro de 2003).

Publicado
21-10-2004
Como Citar
Roncari, L. (2004). Machado de Assis, Oswald de Andrade, Guimarães Rosa e Marques Rebelo: variações em torno do mesmo tema. Scripta, 8(15), 191-197. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12578