O enigma de Muana Puó

  • Marcelo José Caetano
Palavras-chave: Literatura angolana, História, Utopia, Pepetela.

Resumo

Neste trabalho, o romance Muana Puó, do escritor angolano Pepetela, é analisado do ponto de vista das relações entre história, ficção e utopia, ou seja, como narrativa que se apropria de acontecimentos históricos de Angola, utilizando-se da forma ficcional e incorrendo em construções utópicas. O arcabouço teórico desta investigação é constituído, principalmente, pelas reflexões sobre a cultura realizadas por Frantz Fanon, Homi K. Bhabha e Edward Said; as investigações de Bloch, Baczko, Münster e Paquot sobre a utopia; as categorias conceituais da filosofia existencialista de Martin Heidegger; e os estudos de Laura Cavalcante Padilha, Rita Chaves e Inocência Mata sobre as literaturas africanas de língua portuguesa, sobretudo aqueles que privilegiam a literatura angolana. O livro é examinado da perspectiva da proposição de uma utopia mito-poética baseada nos significados da máscara tribal Muana Puó.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ABDALA JR., Benjamim. Literatura, história e política. São Paulo: Ática, 1989.

AGOSTINHO NETO, Antonio. Sobre a literatura. Luanda: UEA, 1978. (Cadernos Lavra & Oficina).

ALVES, Henrique L. et al. A voz igual. Porto: Angolê, 1989.

ANDERSEN, Benedict. Nação e consciência nacional. São Paulo: Ática, 1989.

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

BACZKO, Bronislaw. Utopia. In: Enciclopédia Einaudi – 5 Anthropos-Homem. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1985. p. 333-396.

BARRETO, Antonio Hildebrando. Pepetela “A parábola do cágado velho: construindo pontes”. In: CAMPOS, Maria do Carmo Sepúlveda; SALGADO, Maria Teresa. África e Brasil: letras em laços. Rio de Janeiro: Atlântica, 2000. p. 303-318.

BEAINI, Thais Curi. Heidegger: a arte como cultivo do inaparente. São Paulo: Edusp, 1986.

BENJAMIN, Walter. Teses sobre a História. In: KOTHE, Flávio R. Walter Benjamin. São Paulo: Ática, 1991. p. 153-164.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

BITTENCOURT, Marcelo. Dos jornais às armas: trajectórias da contestação angolana. Lisboa: Veja, 1999.

BLOCH, Ernst. El principio esperanza. Madrid: Aguilar, 1977.

CABRAL, Roque (Dir.). LOGOS: Enciclopédia Luso-Brasileira de Filosofia. Lisboa: Editorial Verbo, 1992.

CAETANO, Marcelo José. O Eu e o Outro em Sagrada Esperança. Dissertação (Mestrado em Literaturas de Língua Portuguesa) – Curso de Letras, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1995.

CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas: estrategias para entrar y salir de la modernidad. México: Grijalbo, 1990.

CHAVES, Rita. A formação do romance angolano. São Paulo: Via Atlântica, 1999.

CHAVES, Rita. Pepetela: romance e utopia na história de Angola. Revista Via Atlântica, São Paulo, Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da USP, v. 1, n. 2, p. 216-232, 1999.

CHAVES, Rita; MACEDO, Tânia. Portanto... Pepetela. Moçambique: Chá de Caxinde, 2002.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. 5. ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1991.

COUTO, Mia. Pepetela – a pestana vigiando o olhar. In: CHAVES, Rita; MACEDO, Tânia. Portanto... Pepetela. Moçambique: Chá de Caxinde, 2002. p. 75-78.

DAVIDSON, Basil. Os africanos: uma introdução à sua história cultural. Lisboa: Ed. 70, 1989.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

EDGAR, Andrew; SEDGWICK, Peter. Teoria cultural de A a Z: conceitos-chave para entender o mundo contemporâneo. São Paulo: Contexto, 2003.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

FANON, Frantz. Racismo e cultura. In: FANON, Frantz. Por la revolución africana. México: Fondo de Cultura Económica, 1973. p. 38-52.

FERREIRA, Manuel. O discurso no percurso africano I. Lisboa: Plátano, 1986.

FERREIRA, Manuel. No reino de Caliban. v. 1, 3. ed. Lisboa: Plátano, 1988.

FERREIRA, Manuel. No reino de Caliban. v. 2, 2. ed. Lisboa: Plátano, 1988.

FERRO, Marc. História das colonizações: das conquistas às independências – séculos XIII a XX. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

FINK, Eugen. A filosofia de Nietzsche. 2. ed. Lisboa: Presença, 1988.

FREUD, Sigmund. A interpretação dos sonhos. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1987.

GLISSANT, Édouard. Poétique de la relation. Paris: Gallimard, 1990.

GOMES, Aldónio; CAVACAS, Fernanda. Dicionário de autores de literaturas africanas de língua portuguesa. 2. ed. Lisboa: Caminho, 1997.

GUERREIRO, Manuel Viegas. Povo, povos e cultura: Portugal, Angola, Moçambique. Lisboa: Colibri, 1997.

HALL, Stuart. Identidades culturais na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1997.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidade e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003.

HAMILTON, Russel. Literatura africana, literatura necessária. Lisboa: Ed. 70, 1988.

HEIDEGGER, Martin. A origem da obra de arte. Lisboa: Ed. 70, 1988.

HEIDEGGER, Martin. Sobre o problema do ser: o caminho do campo. Petrópolis: Vozes, 1977.

INWOOD, Michael. Dicionário Heidegger. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

LACROIX, Jean-Yves. A utopia: um convite à filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

LIMA, Manuel dos Santos. Os anões e os mendigos. Porto: Afrontamento, 1984.

MAFFESOLI, Michel. A conquista do presente. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.

MANNHEIM, Karl. Ideologia e utopia. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

MATA, Inocência Luciano dos Santos. Ficção e história na obra de Pepetela: dimensão extratextual e eficácia. Tese (Doutorado em Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa) – Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2003.

MATA, Inocência Luciano dos Santos. Um escritor (ainda) em busca da utopia. In: INSTITUTO CAMÕES – CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS. Homenagem a Pepetela. Luanda: Instituto Camões, 1999. p. 30-56.

MATA, Inocência Luciano dos Santos. Pepetela e as (novas) margens da nação angolana. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE LUSITANISTAS, 6, 1999, Rio de Janeiro. Disponível em: .

MATA, Inocência Luciano dos Santos. Pepetela: a releitura da história entre gestos de reconstrução. In: CHAVES, Rita; MACEDO, Tânia. Portanto... Pepetela. Moçambique: Chá de Caxinde, 2002. p. 219-236.

MENEZES, Solival. Mamma Angola: sociedade e economia de um país nascente. São Paulo: EDUSP, 2000.

MONTEIRO, Manuel Rui. Eu e o outro – o invasor: ou em três poucas linhas uma maneira de pensar o texto. In: ENCONTRO ‘PERFIL DA LITERATURA’. São Paulo: Centro Cultural, 1985. p. 1.

MORE, Thomas. A utopia. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

MPLA. História de Angola. Porto: Afrontamento, [s.d.].

MULLER-LAUTER, Wolfgang. Doutrina da vontade de poder em Nietzsche. 2. ed. São Paulo: Annablume, 1997.

MÜNSTER, Arno. Ernst Bloch: filosofia da práxis e utopia concreta. São Paulo: Ed. da Universidade Estadual Paulista, 1993.

NIETZSCHE, Friedrich W. Vontade de potência. Rio de Janeiro: Ediouro, 1966.

NOVAES, Adauto (Org.). Tempo e história. São Paulo: Cia. das Letras, 1992.

NOVAES, Adauto (Org.). Narrativa histórica e narrativa ficcional. In: RIEDEL, Dirce Cortês (Org.). Narrativa: ficção e história. Rio de Janeiro: Imago, 1988. p. 9-31.

NUNES, Benedito. No tempo do niilismo (e outros ensaios). São Paulo: Ática, 1993.

NUNES, Benedito. Passagem para o poético: filosofia e poesia em Heidegger. São Paulo: Ática, 1986.

PACHECO, Carlos. Repensar Angola. Lisboa: Vega, 2000.

PADILHA, Laura Cavalcante. Entre voz e letra: o lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX. Niterói: EDUFF, 1995.

PADILHA, Laura Cavalcante. Jogo de cabra cega. Gragoatá, Revista do Instituto de Letras da UFF, Niterói, n. 1, p. 97-109, 2. sem. de 1996.

PAQUOT, Thierry. A utopia: ensaio acerca do ideal. Rio de Janeiro: Difel, 1999.

PAVÃO, Suzana Rodrigues. África e suas jornadas: a utopia de duas nações. Tese (Doutorado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

PAZ, Octavio. Los hijos del limo. Mexico: Editorial Planeta Mexicana, 1991.

PAZ, Octavio. O labirinto da solidão (& post-scriptum). 3. ed. São Paulo: Paz & Terra, 1992.

PEPETELA [PESTANA, Artur Carlos Maurício]. As aventuras de Ngunga. 3. ed. São Paulo: Ática, 1983.

PEPETELA. A geração da utopia. 3. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

PEPETELA. Muana Puó. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

ROSÁRIO, Lourenço do. Pepetela: o Homero angolano. In: CHAVES, Rita; MACEDO, Tânia. Portanto... Pepetela. Moçambique: Chá de Caxinde, 2002. p. 255-258.

SAID, Edward. Cultura e imperialismo. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

SAID, Edward. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Cia. das Letras, 1990.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

SANTOS, Luis Alberto Ferreira Brandão. Nação: ficção: comunidades imaginadas na literatura contemporânea. Tese (Doutorado em Literatura Comparada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1996.

SARTRE, Jean-Paul. Reflexões sobre o racismo: reflexões sobre a questão judaica: orfeu negro. 4. ed. São Paulo: Difel.

SAVATER, Fernando. Friedrich Nietzsche: inventário. Madrid: Taurus, 1973.

SERRÃO, Joel. Do sebastianismo ao socialismo. [S.L.]: Livros Horizonte, 1983.

SHAKESPEARE, William. A tempestade. Belo Horizonte: Dimensão, 1995.

SILVA, Tomaz Tadeu da Silva. Teoria cultura e educação: um vocabulário crítico. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

SMITH, Anthony D. A identidade nacional. Lisboa: Gradiva, 1997.

SOW, Alpha et al. Introdução à cultura africana. Lisboa: Ed. 70, 1980.

TRIGO, Salvato. A poética da ‘Geração da Mensagem’. Porto: Brasília Editora, 1979.

ULMANN, Reinholdo Aloysio. Ritos de passagem. In: O homem e a cultura. Petrópolis: Vozes, [s.d.]. p. 143-160.

VÁSQUEZ, Adolfo Sánchez. Entre a realidade e a utopia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

Publicado
21-10-2004
Como Citar
Caetano, M. J. (2004). O enigma de Muana Puó. Scripta, 8(15), 267-282. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12585
Seção
Dossiê: Literaturas africanas de língua portuguesa