Que futuro para a poesia?

  • E.M. de Melo e Castro Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Criação poética, Poesia experimental, Poética do não, Sexualização da criatividade, Poesia do século XXI

Resumo

Desde o fim da segunda guerra mundial e perante os devastadores horrores dessa mesma guerra, uma pergunta tem sido feita, quanto à viabilidade da poesia como paradigma de ver, sentir  e entender o mundo. Mas também durante toda a segunda metade do século XX, uma incerteza perante a viabilidade desse mesmo nosso mundo, mi­nou contraditoriamente a nossa capacidade de conceber o futuro. As poéticas experimentais, a procura do novo, as poéticas do "não" e a sexualização da criatividade, foram nesse meio século, os caminhos encontrados para a criação poética. Caminhos que se continuam no início do século XXI com as propostas das novas tecnologias e na pesquisa dos novos gêneros de uma arte que se interroga sobre a viabilidade da sua própria poética, tal como foi concebida até agora na nossa civilização.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
18-12-2006
Como Citar
Castro, E. de M. e. (2006). Que futuro para a poesia?. Scripta, 10(19), 250-259. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/13980
Seção
Artigos