Ao mestre, com saudade

  • Ligia Chiappini
Palavras-chave: Mestre, Formação, Autonomia, Vida, Morte

Resumo

O texto se ampara em algumas obras fundamentais para pensar a educação cidadã e o papel formador de quem a ela dedica o seu trabalho, com ȇnfase na Universidade, onde essa questão é frequentemente relegada aos cursos de pedagogia, sem que seja considerada suficientemente relevante por quem lida com as outras disciplinas. Trata-se de homenagear o Mestre a partir de uma reflexão sobre esse conceito, concebendo-o como  orientador, guia e exemplo,  sobretudo em tempos “do contra”, quando a defesa da vida e dos direitos humanos exige um pensamento militante e uma militancia pensante. De um lado, o Mestre como presenca decisiva ao longo do convívio com seus/suas aprendizes, mas, de outro, como alguém que sabe retirar-se no momento certo, permitindo-lhes empreender o próprio vôo.

Referências

Barthes, Roland. Escritores Intelectuais Professores e outros ensaios, Lisboa, Presença, 1975.

Blanchot, Maurice. L'entretien infini, Paris, Gallimard, 1969.

Bourdieu e Passeron, Les Héritiers, Ed. de Minuit,1964.

Candido, Antonio. “A Cultura do contra”, Folha de São Paulo, julho, 1978.

Gusdorf, Georges. Professores para quê? Para uma pedagogia da pedagogia. Lisboa: Livraria Morais Editora, 1967.

Hameline, Daniel. Maîtres et élѐves, Paris, Hachette, 1973.

V. Kourganoff. La cara oculta de la Universidad. Buenos Aires, Ed. Siglo XX, 1972.

Snyders, Georges. Où vont les pedagogies non-directives? Paris, PUF, 1973.
Publicado
18-12-2019
Como Citar
Chiappini , L. (2019). Ao mestre, com saudade. Scripta, 23(49), 320-345. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2019v23n49p320-345