Uma comparação entre as análises de Antonio Candido e Roberto Schwarz sobre José de Alencar

  • Ana Karla Canarinos
Palavras-chave: Teoria literária, Crítica literária brasileira, José de Alencar, Roberto Schwarz, Antonio Candido

Resumo

Este trabalho objetiva mapear os posicionamentos de Antonio Candido e Roberto Schwarz sobre a produção de José de Alencar, mais especificamente o romance Senhora. Para tanto, serão considerados os ensaios “Os três alencares”, de Antonio Candido, publicado em Formação da literatura brasileira (1959); e “A importação do romance e suas contradições em Alencar”, de Roberto Schwarz, publicado em Ao vencedor as batatas (1977). Ambos os críticos são comumente relacionados pela crítica por compartilharem do mesmo arsenal teórico e metodológico, no entanto, as análises sobre José de Alencar revelam diferenças importantes sobre a concepção de modernidade literária dos autores. Nesse sentido, a partir da comparação entre os dois textos críticos sobre a produção alencariana, este artigo pretende debater as tensões e descontinuidades entre o posicionamento de Antonio Candido e Roberto Schwarz.

Biografia do Autor

Ana Karla Canarinos

Universidade de Campinas (Unicamp). Mestre em estudos lusófonos pela Université Lumiere Lyon 2, França. Doutoranda em Teoria e História Literária na UNICAMP. Bolsista FAPESP.

Referências

ARANTES, Paulo. Sentimento da dialética na experiência intelectual brasileira: dialética e dualidade segundo Antonio Candido e Roberto Schwarz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

ARANTES, Paulo. Sentido da formação: três estudos sobre Antonio Candido, Gilda de Mello e Souza e Lucio Costa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997

BARROS E SILVA, Fernando. Fora do lugar comum. Folha de S. Paulo, p. 7-8 São Paulo, 1 jun. 1999, Caderno Mais.

CANDIDO, Antonio. Brigada ligeira e outros escritos. São Paulo: Unesp, 1992.

CANDIDO, Antonio. Os três alencares. In: CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2012.

CANDIDO, Antonio. Crítica e sociologia. In: CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. São Paulo: T. A. Queiroz, 2000.

CANDIDO, Antonio. Literatura e cultura de 1900 a 1945. In: CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. São Paulo: T. A. Queiroz, 2000.

CANDIDO, Antonio. O método crítico de Sílvio Romero. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2006.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance: um ensaio histórico-filosófico sobre as formas da grande épica. São Paulo: Duas Cidades, 2009.

LUKÁCS, Georg. Narrar ou descrever. In: LUKÁCS, Georg. Marxismo e teoria da literatura. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

MELO, Alfredo Barbosa de. Pressupostos, salvo engano de uma divergência silenciosa: Antonio Candido, Roberto Schwarz e a modernidade brasileira. Alea, Rio de Janeiro, v. 16, n. 2, p. 403-420, jul./dez. 2014.

SCHWARZ, Roberto. A importação do romance e suas contradições em Alencar”. In: SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor as batatas. São Paulo: Duas Cidades, 2012a.

SCHWARZ, Roberto. Entrevista com Roberto Schwarz. [Entrevista cedida a] Eva Corredor. Literatura e Sociedade, São Paulo, v. 7 n. 6, p. 14-39, 2002.

SCHWARZ, Roberto. Martinha versus Lucrécia: ensaios e entrevistas. São Paulo: Companhia das Letras, 2012b.

SCHWARZ, Roberto. Sequências brasileiras: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

SCHWARZ, Roberto. Um mestre na periferia do capitalismo. São Paulo: Duas Cidades, 2000.

WAIZBORT, Leopoldo. A passagem do três ao um: crítica literária, sociologia, filologia. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
Publicado
20-12-2019
Como Citar
Canarinos, A. K. (2019). Uma comparação entre as análises de Antonio Candido e Roberto Schwarz sobre José de Alencar. Scripta, 23(49), 219-243. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2019v23n49p219-243