Exclamativas e interrogativas com ‘ques’ em português brasileiro dialetal

  • Bruna Karla Pereira Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e MucurI
Palavras-chave: Ques, CP, Movimento-wh, DP, NumP

Resumo

Neste artigo, examinam-se exclamativas e interrogativas que contêm o determinante ‘ques’, em dialetos do português do Brasil. Diferentemente do português padrão, nestas estruturas, ‘que’ é o único constituinte do DP marcado com o morfema ‘-s’ de plural. Para explicar esses fatos, propõe-se uma análise não apenas da hierarquia do CP/DP na qual ‘ques’ se insere, mas também da distribuição do morfema de plural no DP. Para a derivação sintática, assume-se, seguindo propostas vigentes, que ‘ques’ é um determinante, e, portanto, um núcleo D. No que se refere a sentenças interrogativas, o DP ao qual ‘que’ pertence passa por movimento wh da posição de argumento interno do VP para o domínio do CP. No que se refere a sentenças exclamativas, assume-se que o DP se move da posição de predicado de uma small clause para o domínio do CP. Em ambos os casos, o movimento se dá por força ilocucionária. Para a distribuição do morfema de plural, assume-se que o cardinal divide o DP em dois domínios, sendo que sintagmas à sua esquerda são marcados com o morfema de plural, enquanto sintagmas à sua direita são não marcados. Como resultado, porque ‘ques’ é o único item mais alto que o cardinal nessas estruturas, ele é o único marcado com o morfema de plural. Portanto, desenvolve-se uma análise capaz de explicar: primeiramente, a estrutura oracional (CP) à qual o DP contendo ‘ques’ pertence; posteriormente, a hierarquia do DP; e finalmente a distribuição do morfema de plural na estrutura interna do DP.

Palavras-chave: ‘Ques’. CP. Movimento wh. DP. NumP.

Biografia do Autor

Bruna Karla Pereira, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e MucurI

Atualmente vinculada ao MIT como visiting scholar

Referências

AUTOR, 2017.
AUTOR, 2014.
CASTRO, Ana; PRATAS, Fernanda. Capeverdean DP-internal number agreement: additional arguments for a distributed morphology approach. In: COSTA, João; FIGUEIREDO SILVA, Maria (Ed.). Studies on agreement. Amsterdam; Philadelphia: John Benjamins, 2006. p. 11-24.
CHOMSKY, Noam. Derivation by phase. In: Kenstowicz, Michael (Ed.). Ken Hale: a life in language. Cambridge, MA: The MIT Press, 2001. p. 1 - 52.
CINQUE, Guglielmo. Deriving Greenberg’s Universal 20 and its exceptions. Linguistic Inquiry, v. 36, n. 3, p. 315 - 332, 2005.
COSTA, João; FIGUEIREDO SILVA, Maria. Nominal and verbal agreement in Portuguese: an argument for distributed morphology. In: ______ (Ed.). Studies on agreement. Amsterdam; Philadelphia: John Benjamins, 2006. p. 25-46.
DANON, Gabi. Agreement and DP-Internal Feature Distribution. Syntax, v. 14, n. 4, p. 297–317, 2011.
DAVIES, Mark; FERREIRA, Michael. Corpus do Português: 45 million words, 1300s-1900s. Brigham Young University; Georgetown University, 2006. Available at: . Access on: May 4th, 2016.
HOPPER, Paul; TRAUGOTT, Elizabeth. Grammaticalization. 2. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.
KATO, Mary. Free and dependent small clauses in Brazilian Portuguese. DELTA, v. 23, n. esp., p. 85–111, 2007.
MIOTO, Carlos. Sobre o sistema CP no português brasileiro. Revista de Letras, Curitiba, n. 56, p. 97-139, 2001.
NORRIS, Mark. A theory of nominal concord. 2014. 276 f. Dissertation (PhD in Linguistics) – University of California, Santa Cruz, 2014.
NUNES, Jairo. Triangulismos e a sintaxe do português brasileiro. In: CASTILHO, Ataliba; KATO, Mary (Org.). Descrição, história e aquisição do português brasileiro. Campinas: Pontes, 2007. p. 25-34.
RIZZI, Luigi. The fine structure of the left periphery. In: HAEGEMAN, Liliane (Ed.). Elements of grammar: handbook of gererative syntax. Dordrecht, Boston, London: Kluwer Academic Publishers, 1997. p. 281 - 337.
ROBERTS, Ian; ROUSSOU, Anna. Syntactic change: a minimalist approach to grammaticalization. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.
SIBALDO, Marcelo. Sobre a estrutura interna das Small Clauses livres do português brasileiro. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 40, n. 1, p. 231 - 240, 2011.
VIDOR, Deise; MENUZZI, Sérgio. Pronomes como determinantes: algumas propriedades do elemento interrogativo ‘que’ em português brasileiro. Leitura, Maceió, v. 33, p. 65-86, 2004.
ZANUTTINI, Raffaella; PORTNER, Paul. Exclamative clauses: at the syntax-semantics interface. Language, v. 79, n. 1, p. 39–81, 2003.
Publicado
23-09-2020
Como Citar
Pereira, B. K. (2020). Exclamativas e interrogativas com ‘ques’ em português brasileiro dialetal. Scripta, 24(51), 514-538. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2020v24n51p514-538