Escrita acadêmica em Português como Língua Adicional: reflexões acerca de biletramento, ensino e avaliação

  • Ana Laura dos Santos Marques Universidad De Santiago de Chile
Palavras-chave: Abordagem de gêneros, Português como Língua Adicional, Biletramento avançado espanhol-português, Textos explicativos

Resumo

O objetivo deste trabalho é discutir, por meio de uma análise de textos explicativos de aprendizes hispanofalantes de Português como Língua Adicional (PLA), em contexto de formação universitária, aspectos de suas produções que representam desafios para o trabalho com a escrita acadêmica, tanto em relação ao seu ensino e desenvolvimento paralelo de primeira língua e língua-alvo, quanto em relação à avaliação. Considerando a proximidade entre as duas línguas e os requerimentos dessa aprendizagem, examinamos o conceito de biletramento (HORNBERGER, 2003; 2013), assumindo que usuários de mais de uma língua articulam seu repertório de sistemas linguísticos com uma dupla função: transitar entre uma e outra língua e integrá-las nas diversas situações de produção em que se inserem. (CANAGARAJAH, 2011). No caso da escrita acadêmica em duas línguas, a complexidade dessa integração pode ser reconhecida no plano discursivo, com a devida ressalva de que se encontra em um espaço em que as avaliações acontecem desde uma visão monolíngue. A metodologia de análise considera os lineamentos teórico-metodológicos da abordagem dos gêneros da Linguística Sistémico-Funcional. (MARTIN, 2012; ROSE, 2004; 2007; 2012). Trata-se de um estudo de casos exploratório, com resultados não generalizáveis, que, no entanto, revelam os desafios que a escrita acadêmica representa para os estudos em PLA em termos de descrição, parâmetros e ensino. Ademais, as análises apontam a necessidade de compreender o processo de biletramento avançado, com um enfoque que articule o trabalho com os gêneros fundamentado em um estudo analítico e descritivo dos textos levados à sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Laura dos Santos Marques, Universidad De Santiago de Chile
Docente da Universidad de Santiago de Chile (USACH). Doutora em Linguística pela Pontificia Universidad Católica de Chile (PUC - Chile). Santiago, Chile.   

Referências

ACEVEDO, C., e ROSE, D. Reading (and writing) to learn in the middle years. Primary English Teaching Association, n. 157. 2007.

ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes. Uma metodologia específica para o ensino de línguas próximas?. Em José Carlos Paes de ALMEIDA FILHO (org.): Português para estrangeiros interface com o espanhol. Campinas: Pontes, pp. 13-21, 1995.

ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes. O professor de língua estrangeira em formação. Campinas: Pontes, 1999.

ALONSO REY, María Rocío. El mito de la facilidad en el estudio del proceso de enseñanza y aprendizaje de PLE-HE, Estudios Portugueses 4, pp. 11-38, 2005.

ALONSO REY, María Rocío. Portugués para hispanohablantes: aspectos teóricos y prácticos de un área emergente de investigación, 2012. Disponível em: < https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4680391 > Consulta em abril de 2020

BYRNES, H. Emergent L2 German writing ability in a curricular context: a longitudinal study of grammatical metaphor. Em: Linguistics and Education, 20. pp. 50-66. 2009.

CANAGARAJAH, S. Codemeshing in academic writing: identifying teachable strategies of translanguaging. Em: The Modern Language Journal, n. 95, iii, pp. 401-416. 2011.

CARLINO, P. Alfabetización académica diez años después, Revista Mexicana de Investigación Educativa 57, vol.18, 2013, p. 355-381.

COLOMBI, M. C. Gramatical metaphor: academic language development in Latino students in Spanish. Em: Byrnes, H. Advanced Language Learning: The contribution of Halliday and Vygotsky. Continuum: London. pp. 147- 162. 2006.

COLOMBI, M. C.; Joseph HARRINGTON. Advanced Biliteracy Development in Spanish as a Heritage Language. In: BEAUDRIE, S.; FAIRCLOUGH, M. (eds.): Spanish as a Heritage Language in the US., Georgetown University Press, Washington, D.C., 2012. p. 241-258.

DE OLIVEIRA, L., e LAN, Shu-Wen. Writing science in an upper elementary classroom: A genre-based approach to teaching English language learners. Em: Journal of Second Language Writing, n. 25. pp. 23-39, 2014.

FERNÁNDEZ-RODRÍGUEZ, María. Como aprender a aprender e melhorar a produção escrita em Português. Em Norimar JÚDICE e P. F. PINTO, (orgs.): Para acabar de vez com Tordesilhas. Lisboa: Colibri, 65-80, 1998.

FERREIRA, Itacira A. Português/espanhol – fronteiras linguísticas que devem ser delimitadas. Em: José Carlos Paes de ALMEIDA FILHO (org.): Português para estrangeiros: interface com o espanhol, Campinas: Pontes, 34-48, 1998.

GENTIL, G. A biliteracy agenda for genre research. Journal of Second Language Writing 20, pp. 6–23. 2011.

GRANNIER, Daniele. Uma proposta heterodoxa para o ensino de Português a falantes de espanhol” en Norimar JÚDICE: Português para estrangeiros: perspectivas de quem ensina, Niterói, Intertexto, 57-80, 2002.

HALLIDAY, M. A. K. Things and relations. In: MARTIN, J. R. & VEER, R. Reading science: critical and functional perspectives on discourses of science. London/New York: Routledge, pp.185-235. 1998.

HORNBERGER, Nancy. “Continua of biliteracy”. Review of Educational Research 59 (3), 271–296, 1989.

HORNBERGER, N.H. (Ed.). Continua of biliteracy: An ecological framework for educational policy, research, and practice in multi-lingual settings. Clevedon, UK: Multilingual Matters. 2003.

HORNBERGER, N. H.. Biteracy continua. In M. R. Hawkins (Ed.). Framing languages and literacies: Socially situated views and perspectives. New York, NY: Routledge, pp. 149–167. 2013.

JÚDICE, Norimar. Português/Língua estrangeira: leitura, produçã o e avaliaçã o de textos. Niterói: Intertexto, 2000.

JÚDICE, Norimar. Português para estrangeiros: perspectivas de quem ensina. Niterói: Intertexto, 2002.

JÚDICE, Norimar. Seleção e abordagem de fotografias, cartuns e quadrinhos no ensino da língua e da cultura do Brasil para estrangeiros. In: JÚDICE, N. Ensino da Língua e da Cultura do Brasil para Estrangeiros. Niterói: Intertexto, 2005. p.31-51.

JÚDICE, Norimar. Mó dulos didá ticos para grupos especí ficos de aprendizes estrangeiros de português do Brasil: uma perspectiva e uma proposta. In: PEREIRA, A.L. & GOTTHEIM, L. (orgs.). Materiais didáticos para o ensino de língua estrangeira – Processos de criação e contexto de uso. Campinas: Ed. Mercado de Letras, 2013. p. 147-184.

MARTIN, Jim. Systemic functional linguistics. In: HYLAND, Ken; PALTRIDGE, Brian. (Ed.). The continuum companion to discourse analysis. London/New York: Continuum, 2011. p. 101-119.

MARTIN, J. R. One of three traditions: genre, functional linguistics and the Sydney School. In: ARTEMEVA, N.; FREEDMAN, A. (Ed.). Genre around the globe: beyond the three traditions. Edmond, AB: Trafford, 2012. p. 31-77.

MARTIN, Jim; WHITE, Peter. The language of evaluation: appraisal in English. Londres/Nueva York: Palgrave/Macmillan, 2005.

MARTIN, J. R.; ROSE, D. Getting going with genre. In: MARTIN, J. R.; ROSE, D. Genre relations: mapping culture. London: Equinox, 2008. p. 1-48.

MENDES, Edleise. Diálogos interculturais: ensino e formaçã o em português língua estrangeira. Campinas: Pontes, 2011.

ORTIZ-ÁLVAREZ, Maria Luisa. Os fraseologismos como expressão cultural: aspectos de seu ensino em PLE. Em: Maria Jandyra C. CUNHA y Percilia SANTOS: Tópicos em Português língua Estrangeira. Brasilia: UnB, 157-174, 2002.

RYSHINA-PANKOVA, M.. A meaning-based approach to the study of complexity in L2 writting: The case of gramatical metaphor. In: Journal of Second Language Writting, 29. pp. 51-63. 2015.

ROSE, D.. Genre in the Sydney school. Em: GEE, J. P. & HANDFORD, M. (Eds.), The Routledge Handbook of Discourse Analysis, (pp. 209-225). London: Routledge. 2012

ROSE, D. Writing as linguistic mastery. Em: MYHILL, D., BEARD, D., NYSTRAND, M. e RILEY, J. (eds.). Handbook of writing development. London: Sage, 2008.

ROSE, D.. Reading genre: a new wave of analysis. Linguistics and the Human Sciences, 2:1. pp. 1-27. 2007.

ROSE, D. Literacy and equality in the classroom. Future directions in Literacy Conference, University of Sydney. 2006.

ROSE, D. & ACEVEDO, C. Closing the gap and accelerating learning in the middle years of schooling. Australian Journal of Language and Literacy, 14(2), pp.32-47. 2006.

ROSE, D.. Sequencing and pacing of hidden curriculum: how indigenous learners are left out of the chain. Em: MULLER, J.; MORAIS, A; DAVIES, B. Reading Bernstein, Research Bernstein. London: Routledge Falmer. pp. 91-107. 2004.

SCHLEPPEGRELL, Mary J., e M. Cecilia COLOMBI. Developing advanced literacy in first and second languages. New York: Routledge, 2002.

SCHLEPPEGRELL, Mary J. Challenges of the science register for ESL students: errors and meaning-making. Em Mary J. SCHLEPPEGRELL e M. Cecilia COLOMBI (coord.): Developing advanced literacy in first and second languages, New York: Routledge, 119-142, 2002.

SCHLEPPEGRELL, Mary J.. The language of schooling: A functional linguistic perspective. New Jersey: Lawrence Erlbaum. 190 p., 2004.

SCHLEPPEGRELL, M. J.. The linguistics features of advanced language use: the grammar of exposition. Em: Byrnes, H. Advanced Language Learning: The contribution of Halliday and Vygotsky. Continuum: London. pp. 134-146. 2006.

SCHLEPPEGRELL, M. J.. Systemic Functional Linguistics. Em: The Routledge Handbook of Discourse Analysis. GEE, J. P e HANDFORD, M. (Eds.). pp- 21-34, 2012.

SIPPERT, Luciane, e ROTTAVA, Lúcia. Estudo semântico-discursivo da referência textual sob a perspectiva da Lingüística Sistêmico-Funcional, 2018. Disponível em < https://www.seer.ufrgs.br/organon/article/view/81493 > Consulta em abril de 2020.

Publicado
29-06-2021
Como Citar
Marques, A. L. dos S. (2021). Escrita acadêmica em Português como Língua Adicional: reflexões acerca de biletramento, ensino e avaliação. Scripta, 25(53), 200-232. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2021v25n53p200-232