De Bagagem a Miserere: “a inominável corisca poesia” de Adélia Prado

  • José Hélder Pinheiro Alves Universidade Federal de Campina Grande - UFCG.
Palavras-chave: Adélia Prado, Construção em vitral, Ausência de hierarquia, Cotidiano e fé, Amor e erotismo.

Resumo

Apresenta-se neste artigo uma apreciação da poesia de Adélia Prado centrado na leitura dos livros e dos poemas com destaque para as permanências temáticas presentes desde a obra inicial, Bagagem, até a última obra, Miserere. A classificação sugerida parte de títulos presentes em algumas subdivisões dos três primeiros livros (“O modo poético”, “Um jeito e amor”, “Qualquer coisa é casa da poesia” e “Tudo que eu sinto esbarra em Deus”). A retomada de termos da própria poetisa revela o nível de consciência que ela ostenta de sua criação. Outro aspecto a ser apresentado são os procedimentos presentes nesta obra lírica e que são responsáveis pela singularização de seu estilo. São apresentadas categorias como “construção em vitral”, “ausência de hierarquia” e “caráter narrativo”, cunhadas da experiência de leitura da obra. Por fim, ensaia-se uma análise do poema “Desenredo”, considerado como um dos muitos que contém uma síntese dos temas e procedimentos de maior destaque de sua lírica.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALONSO, D. Poesia Espanhola – Ensaios de método e limites estilísticos. Rio de Janeiro: INL, 1960.

ALVES, J. H. P. A poesia de Adélia Prado. FFCHL-USP, 1992. Dissertação de Mestrado.

ALVES, J. H. P. A sarça ardente e a mulher confusa: aspectos da lírica religiosa de Adélia Prado. In: SWARNAKAR, S. e MOURA, A. P. Ensaios comparativos. Campina Grande: EDUEPB, 2007.

CHKLOVSKI, V. A arte como procedimento. In: TOLEDO, D. de O. (org.) Teoria da literatura: formalistas russos. Trad. Ana M. R. Filipousk et all. Porto Alegre: Ed. Globo, 1976.

HOUAISS, A. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

JOLLES, A. As formas simples.Trad. Álvaro Cabral. São Paulo, Cultrix, s/d.

MESQUITA, S. N. O enredo. 2.ed. São Paulo: Ática, 1987. (Série Princípios).

PRADO, A. Bagagem. 4.ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

PRADO, A. O coração disparado. 3. ed. Rio de Janeiro: Salamandra, 1984.

PRADO, A. O pelicano. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

PRADO, A. A faca no peito. Rio de Janeiro: Rocco, 1988.

PRADO, A. Oráculos de maio. Siciliano: São Paulo: 1999.

PRADO, A. Terra de Santa Cruz. Rio de Janeiro: Record, 2006.

PRADO, A. A duração do dia. Rio de Janeiro: Record, 2010.

PRADO, A. Miserere. Rio de Janeiro: Record, 2013.

TELES, G. M. Vanguarda europeia e Modernismo brasileiro. 5.ed. Petrópolis: Vozes, 1978.

Publicado
18-12-2014
Como Citar
Alves, J. H. P. (2014). De Bagagem a Miserere: “a inominável corisca poesia” de Adélia Prado. Scripta, 18(35), 125-142. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2014v18n35p125
Seção
Dossiê: fazer poético feminino