A relevância das metáforas como conceitualização das experiências: uma reflexão sobre o ensino/aprendizagem de inglês no ensino regular

  • Gabriela da Cunha Barbosa Saldanha UFMG/ Bolsista CNPq.
Palavras-chave: Metáforas, Experiências, Ensino/aprendizagem de inglês, Escola regular.

Resumo

Concebendo a metáfora como um meio de conceitualização do mundo a partir de nossas experiências cotidianas, o presente estudo tem como objetivo central identificar as metáforas de estudantes do ensino médio acerca de sua aprendizagem de inglês no ensino fundamental. A pesquisa, realizada em agosto de 2015, apresenta uma natureza mista, utilizando dados qualitativos e quantitativos. A análise do corpus se apoiou nos pressupostos da Teoria da Metáfora Conceitual, em trabalhos já realizados por autores renomados nesse campo, bem como no marco de referência de experiências. Os resultados revelam que, apesar de haver um número maior de metáforas sobre experiências de insucesso relativas à aprendizagem e ao professor, também foram identificadas metáforas acerca de experiências bem-sucedidas, o que demonstra um rompimento com a lógica do “inglês de colégio” e corrobora a tese de que é possível, sim, aprender inglês na escola regular.

 

Biografia do Autor

Gabriela da Cunha Barbosa Saldanha, UFMG/ Bolsista CNPq.
Doutoranda em Estudos Linguísticos (Linguística Aplicada) – UFMG/ Bolsista CNPq.

Referências

ARRUDA, Climene Fernandes Brito. É preciso propiciar a aprendizagem de inglês na escola: experiências bem-sucedidas para investir em uma mudança de paradigma. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/ dspace/handle/1843/MGSS-9MQPBD>. Acesso em: 18 ago. 2015.

BARATA, Maria Clara Carelli Magalhães. Modelos de avaliação experienciados e idealizados – Experiências, Metáforas e Crenças de alunas e professoras em formação. In: MICCOLI, Laura (Org.). Pesquisa experiencial em contextos de aprendizagem: uma abordagem em evolução. Campinas, SP: Pontes, 2014. p.315-348.

BARCELOS, Ana Maria Ferreira. A cultura de aprender língua estrangeira (inglês) de alunos de Letras. 1995. 140 f. Dissertação (Mestrado em Lingüística Aplicada) – IEL, UNICAMP, Campinas, 1995. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/ document/?code=vtls000099725>. Acesso em: 8 set. 2015.

BARCELOS, Ana Maria Ferreira; VIEIRA-ABRAHÃO, Maria Helena (Org.). Crenças e Ensino de Línguas: foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas, SP: Pontes, 2006.

BARCELOS, Ana Maria Ferreira. Crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas: reflexões de uma década de pesquisa no Brasil. In: ALVAREZ, Maria Luíza O.; SILVA, Kleber A. da (Org.). Lingüística Aplicada: múltiplos olhares. Campinas: Pontes, 2007. p. 27-69.

BARCELOS, Ana Maria Ferreira. Lugares (im)possíveis de se aprender inglês no Brasil: crenças sobre aprendizagem de inglês em uma narrativa. In: LIMA Diógenes Cândido de (Org.). Inglês em escolas públicas não funciona? São Paulo: Parábola, 2011. p. 147-158.

CAMERON, Lynne. Operationalising ‘metaphor’ for applied linguistic research. In: CAMERON, Lynne; LOW, Graham (Org.). Researching and Applying Metaphor. Cambridge: Cambridge University Press, 1999. p. 3-28.

CARVALHO, Maurício Brito de; SOUZA, Ana Cláudia de. As metáforas e sua relevância no processo de ensino-aprendizagem de língua estrangeira. Fragmentos, Florianópolis, v. 24, p. 29-44, jan./jun. 2003. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2015.

COELHO, Hilda Simone Henriques. “É possível aprender inglês em escolas públicas?” Crenças de professores e alunos sobre o ensino de inglês em escolas públicas. 2005. 140 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada, FALE – UFMG/ Belo Horizonte, 2005.

CORTAZZI, Martin; JIN, Lixian. Bridges to learning: Metaphors of teaching, learning and language. In: CAMERON, Lynne; LOW, Andrew (Org.). Researching and Applying Metaphor. Cambridge: Cambridge University Press, 1999. p. 149-176.

DÖRNYEI, Zoltán. Mixed methods research: purpose and design. In: DÖRNYEI, Zoltán. Research methods in applied linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2007. p. 163‑175.

GOMES JUNIOR, Ronaldo Corrêa. Metáforas na rede: mapeamentos conceituais de estudantes universitários sobre aprendizagem de inglês. 2011. 115 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos da Faculdade de Letras/UFMG, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/LETR-8SSUJY>. Acesso em: 3 ago. 2015.

KÖVECSES, Zoltán. Metaphor: a practical introduction. 2nd ed. Oxford: Oxford University Press, 2010.

KRAMSCH, Claire. Metaphor and the Subjective Construction of Beliefs. In: KALAJA, Paula; BARCELOS, Ana Maria Ferreira (Ed.). Beliefs about SLA: New Research Approaches. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 2003. p. 109-128.

LAKOFF, George; JOHNSON, Mark. Metaphors we live by. Chicago: Chicago University Press, 1980.

LAKOFF, George; JOHNSON, Mark. Metáforas da vida cotidiana. Coordenação da tradução: Mara Sophia Zanotto. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2002. 360 p. Original publicado em 1980.

LAKOFF, George. Women, fire, and dangerous things. Chicago: Chicago University Press, 1987.

LAKOFF, George. The contemporary theory of metaphor. In: ORTONY, Andrew. Metaphor and thought. Cambridge: Cambridge University Press, 1993. p. 202-251.

LIMA, Diógenes Cândido de; LEFFA, Vilson J. Inglês em escolas públicas não funciona? Uma questão, múltiplos olhares. São Paulo: Parábola, 2011.

MALTA, Jacy Castro. O desenvolvimento da metacognição da metáfora: uma experiência de ensino. 2000. 141 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Pós-Graduação em Letras/Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2000.

MICCOLI, Laura. Ensino e aprendizagem de inglês: experiências, desafios e possibilidades. Campinas: Pontes, 2010.

MOITA LOPES, Luiz Paulo. “Eles não aprendem português quanto mais inglês”. A ideologia da falta de aptidão para aprender línguas estrangeiras em alunos da escola pública. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo (Org.). Oficina de lingüística aplicada: a natureza social e educacional dos processos de ensino/aprendizagem de línguas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1996. p. 63-80.

NARDI, I. A metáfora na leitura como evento social: instrumentos do pensar a Biblioteconomia do futuro. 1999. 254 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) – Pós‑Graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1999.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. A identidade do professor de inglês. APLIEMGE: Ensino e Pesquisa. Uberlândia, APLIEMGE/FAPEMIG, n. 1, p.9-17, 1997. Disponível em: <http://www.veramenezes.com/identidade.htm>. Acesso em: 12 mai. 2015.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. O lugar da leitura na aula de língua estrangeira. Vertentes, n. 16, p. 24-29, jul./dez. 2000. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2004.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. Autonomia e complexidade. Linguagem e Ensino, v. 9, n. 1, p. 77-127, 2006.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. Ilusão, aquisição ou participação. In: LIMA, Diógenes Cândido de (Org.). Inglês em escolas públicas não funciona: uma questão de múltiplos olhares. São Paulo: Parábola, 2011, p. 33-46. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2015.

Publicado
23-12-2016
Como Citar
Saldanha, G. da C. B. (2016). A relevância das metáforas como conceitualização das experiências: uma reflexão sobre o ensino/aprendizagem de inglês no ensino regular. Scripta, 20(40), 212-230. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2016v20n40p212
Seção
Dossiê Metáfora