Literatura itinerante, l’absence d’oeuvre, e capital simbólico: o caso de Edgar Allan Poe

  • Sérgio Luiz Bellei UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
Palavras-chave: Literatura itinerante, Michel Foucault, Edgar Allan Poe

Resumo

A literatura viaja para outros tempos e lugares e, no percurso, é afetada por mutações e reavaliações. O entendimento tradicional dessas alterações em termos da apropriação de um significado original a ser reinterpretado no momento da recepção relega a segundo plano as condições estruturais do objeto original que possibilitam reapropriações. A ênfase na reprodução do sentido no momento da recepção tende a preservar a autonomia tanto do autor que produz como da obra executada. O conceito foucauldiano de “absence d’oeuvre”, ao propor um vazio na origem da obra, abre caminho para um entendimento das condições de possibilidade da viagem do literário e das transgressões e revalorizações que a acompanham. A viagem da obra literária de Edgar Alan Poe ilustra exemplarmente a ocorrência dessas mutações transgressivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Luiz Bellei, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
Professor Titular de Teoria Literária na Faculdade de Letras da UFMG

Referências

BAUDELAIRE, Charles. Correspondence. In Oeuvres Complètes de Charles Baudelaire, ed. Jacques Crépet. Paris: 1923-1953, 19 vols.

BOURDIEU, Pierre. Social Space and Symbolic Power. Sociological Theory, vol 7, No. 1 (Spring 1989), pp. 14-25.

CAMPOS, Haroldo de. de; CAMPOS, Augusto de. de; PIGNATARI, Décio. Teoria da Poesia Concreta. São Paulo: Duas Cidades, 1975.

CARLSON, Eric, ed. The Recognition of Edgar Allan Poe. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 1970.

FOUCAULT, Michel. Qu’est-ce qu’un auteur? In Dits et écrits. (Paris: Gallimard, 1994), vol. 1, pp. 789–821.

FOUCAULT, Michel. La folie, l’absence d’oeuvre. In Dits et écrits. (Paris: Gallimard, 1994), vol. 1, pp. 412-420.

FOUCAULT, Michel. As Palavras e as Coisas: Uma arqueologia das ciências humanas. São Paulo: Martins Pontes, 2000.

ELIOT, Thomas Stern. From Poe to Valéry. In CARLSON, E. W., ed. The Recognition of Edgar Allan Poe. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 1970.

HUXLEY, Aldous Leonard. Vulgarity in Literature. In CARLSON, E. W., ed. The Recognition of Edgar Allan Poe. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 1970.

JAMES, Henry. Comments. In CARLSON, E. W., ed. The Recognition of Edgar Allan Poe. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 1970.

LACAN, Jacques. Écrits I: Paris: Éditions du Seuil, 1966.

LOWEL, James Russel. Edgar Allan Poe. In CARLSON, E. W., ed. The Recognition of Edgar Allan Poe. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 1970.

POE, Edgar Allan. The Philosophy of Composition. In POE, Edgar Allan, Essays and Reviews. New York: The Library of America, 13-25.

PRATT, Mary Louise. Arts of the Contact Zone. Profession (1991), 33-40.

QUINN, Patrick F. The French Face of Edgar Poe. Carbondale: The Southern Illinois University Press, 1971

VALÉRY, Paul. The Collected works of Paul Valéry, ed. Jackson Mathews. Princeton: Princeton Universy Press, 1956-1975, 15 vols.

VINES, Lois Davis, ed. Poe Abroad. Iowa: University of Iowa Press, 1999.

Publicado
15-06-2018
Como Citar
Bellei, S. L. (2018). Literatura itinerante, l’absence d’oeuvre, e capital simbólico: o caso de Edgar Allan Poe. Scripta, 22(44), 105-114. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2018v22n44p105
Seção
Literaturas