A escrita como instrumento perverso: um estudo de La marchande d’enfants de Gabrielle Wittkop

  • Anne Louise Dias Universidade de Brasília (UnB)
Palavras-chave: Literatura de linguas estrangeiras modernas

Resumo

O presente artigo deseja analisar o romance La marchande d’enfants, escrito por Gabrielle Wittkop e publicado postumamente em 2003, propondo-se a desvelar os mecanismos perversos de um texto que vai para além da religião, da moralidade e coloca a perversão como motivo de sua narração. Wittkop tentaria, por meio de uma escrita poética e perversa, alcançar o extremo, o absurdo ao fazer conscientemente uso da violência própria à linguagem, atacando, penetrando e testando as fronteiras do eu e os limites da representação. Nesse sentido, é nosso objetivo analisar, em La marchande d’enfants, o uso de um duplo jogo da linguagem, que joga com a imagética e a imaginação e, sobretudo, engaja seu leitor a tornar-se cúmplice das ações violentas ali postas em cena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anne Louise Dias, Universidade de Brasília (UnB)
Universidade de Brasília (UnB) - Mestra em Literatura e Práticas Sociais.

Referências

BATAILLE, Georges. L’érotisme. Paris: Les éditions de minuit, 1957. O erotismo. Tradução de

Antonio Carlos Viana. São Paulo: L&PM, 1987.

BATAILLE, Georges. La littérature et le mal. Paris: Gallimard, 1957.

BATAILLE, Georges. Les larmes d’Éros. Paris: Pauvert, 1961.

COSTA LIMA, Luiz. Mímeses: desafio ao pensamento. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2000.

DELEUZE, Gilles. Sacher-Masoch: o frio e o cruel. Tradução de Jorge Bastos. Rio de Janeiro: Jorge

Zahar, 2009.

FARRAR, Roxanne Claire. Violence and différance in the literature of the marquis of Sade. Sartrean

dialectics: a Method for Critical Discourse on Aesthetic Experience. Amsterdam-Atlanta: Rodopi,

FLEURY, Cynthia (Org.). Imagination, imaginaire, imaginal. Paris: Presses Universitaires de

France, 2006.

FOUCAULT, Michel. Language, madness and desire: on literature. Minnesota: University of

Minnesota Press, 2015.

FOUCAULT, Michel. La grande étrangère. Paris: EHESS, 2013.

LE BRUN, Annie. Sade soudain un bloc d’abîme. Paris: Gallimard, 1986.

MACMORRAN, Will. The sound of violence: listening to rape in Sade. Disponível em: https://

www.academia.edu/4891573/The_Sound_of_Violence_Listening_to_Rape_in_Sade, Acesso em: 24

de fev. de 2016.

VÁRIOS. La douleur: beauté ou laideur. Lleida: Universidad de Lleida, 2005.

YOUNG, Paul J. Seducing the Eighteenth-century French Reader: Reading, Writing, and the

Question of Pleasure. Farnham: Ashgate Publishing, Ltd., 2008.

WITTKOP, Gabrielle. La Marchande d’enfants. Paris: Éditions Verticales, 2003.

Publicado
15-06-2018
Como Citar
Dias, A. L. (2018). A escrita como instrumento perverso: um estudo de La marchande d’enfants de Gabrielle Wittkop. Scripta, 22(44), 129-140. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2018v22n44p129
Seção
Literaturas