Definindo o comentário metadiscursivo em uma perspectiva interacionista da Análise do Discurso

  • Gustavo Ximenes Cunha UFMG
  • Paloma Bernardino Braga UFMG
Palavras-chave: Comentário metadiscursivo. Debate eleitoral. Polifonia.

Resumo

Este trabalho apresenta os resultados de pesquisa que buscou definir a noção de comentário metadiscursivo. Adotando contribuições teórico-metodológicas de uma abordagem interacionista da Análise do Discurso, o Modelo de Análise Modular do Discurso, a pesquisa teve como base empírica dois debates eleitorais. O primeiro aconteceu em 2012 e foi protagonizado por Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB), e o segundo ocorreu em 2014 e foi protagonizado por Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). Ao final do percurso de análise, foi possível definir o comentário metadiscursivo como uma relação de discurso por meio da qual o locutor emprega um segmento de discurso representado para comentar, avaliando, uma informação da memória discursiva cuja origem é o comportamento linguageiro do próprio locutor (comentário metadiscursivo autofônico), do interlocutor (comentário metadiscursivo diafônico) ou de terceiro (comentário metadiscursivo polifônico).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Ximenes Cunha, UFMG
Professor da Faculdade de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da UFMG.
Paloma Bernardino Braga, UFMG
Graduanda em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais e bolsista de Iniciação Científica do CNPq.

Referências

AQUINO, Z. G. O. Diálogos da mídia – o debate televisivo. In: PRETI, D. (org.) Diálogos na fala e na escrita. São Paulo: Humanitas, 2008, p. 171-194.

AMOSSY, R. Apologia da polêmica. São Paulo: Contexto, 2017.

BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral. São Paulo: Ed. Nacional, Ed. Universidade de São Paulo, 1976.

BROWN, P; LEVINSON, S. Politeness: some universals in language use. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

BURGER, M. La gestion des activités:pratiques sociales, roles interactionnels et actes de discours. Cahiers de linguistique française, Genebra, v. 26, p. 177-196, 2004.

CUNHA, G. X. Para entender o funcionamento do discurso: uma abordagem modular da complexidade discursiva. Curitiba: Appris, 2014.

CUNHA, G. X. As relações retóricas e a negociação de faces em debate eleitoral. Confluência, Rio de Janeiro, n. 47, p. 205-238. 2014a.

CUNHA, G. X. O papel das relações retóricas na negociação de faces em debate eleitoral. 2015. 170f. Relatório de pesquisa (Pós-Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

CUNHA, G. X. Conectores e processo de negociação: uma proposta discursiva para o estudo dos conectores. Fórum Linguístico, Santa Catarina, v. 14, p. 1699-1716, 2017.

CUNHA, G. X.; BRAGA, P. B. O comentário metadiscursivo como estratégia argumentativa em debates eleitorais. EID&A, Ilhéus, n. 12, p. 101-118, 2016.

CUNHA, G. X.; MARINHO, J. H. C. A expressão conectiva na verdade: contribuições para uma abordagem polifônica dos conectores reformulativos. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 42, p. 53-64, 2017.

FILLIETTAZ, L. Actions, activités et discours. Tese (Doutorado em Linguística) - Faculdade de Letras, Universidade de Genebra, Genebra, 2000.

FILLIETTAZ, L.; ROULET, E. The Geneva Model of discourse analysis: an interactionist and modular approach to discourse organization. Discourse Studies, v. 4, n. 3, 2002, p. 369-392.

GOFFMAN, E. Ritual de interação: ensaios sobre o comportamento face a face. Petrópolis: Vozes, 2011[1967].

HYLAND, K. Metadiscourse: what is it and where is it going ? Journal of pragmatics, 113, 2017, p. 16-29.

JUBRAN, C. C. A. S. Especificidades da referenciação metadiscursiva. In: KOCH, I. G. V.; MORATO, E. M.; BENTES, A. C. (orgs.) Referenciação e discurso. São Paulo: Contexto, 2005, p. 219-241.

KERBRAT-ORECCHIONI, C. Les interactions verbales. Paris: Colin, 1992.

KOTSCHI, Thomas. Procédés d'évaluation et de commentaire métadiscursifs comme stratégies interactives. Cahiers de Linguistique Française, Genebra, n. 7, p. 207-230, 1986.

MARINHO, J. H. C. Uma abordagem modular e interacionista da organização do discurso. Revista da Anpoll, São Paulo, n. 16, p. 75-100, 2004.

MARTEL, G. Performance… et contre-performance communicationnelles: des stratégies argumentatives pour le débat politique télévisé. Argumentation et Analyse du Discours. Tel-Aviv, v. 1, 2008, p. 02-12.

ROULET, E. La description de l’organisation du discours. Paris: Didier, 1999.

ROULET, E. Une approche modulaire de la problematique des relations de discours. In: MARI, H. et al. (orgs.) Análise do discurso em perspectivas. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2003, p. 149-178.

ROULET, E. Les relations de discours rhétoriques et praxéologiques dans la description des propriétés des constituants parenthétiques. Travaux de linguistique. n. 49, 2004, p. 09-17.

ROULET, E.; FILLIETTAZ, L.; GROBET, A. Un modèle et un instrument d'analyse de l'organisation du discours. Berne: Lang, 2001.

SERAFIM, M. S. Os comentários metadiscursivos em narrativas produzidas por crianças: a materialização do sujeito-autor. Veredas, Uberlândia, v. 14, 2010, p. 142-156.

SILVA, L. A. Descortesia e (des)construção da imagem pública. In: PRETI, D.; LEITE, M. Q. (orgs.) Comunicação na fala e na escrita. São Paulo: Humanitas, 2013, p. 93-120.

SANDRÉ, M. Débat politique télévisé et stratégies discursives : la visée polémique des ratés du système des tours. In : BURGER, M.; JACQUIN, J.; MICHELI, R. (orgs.) Actes du colloque "Le français palé dans les médias: les médias et le politique". 2009, p. 01-13.

SULLET-NYLANDER, F. ; ROITMAN, M. De la confrontation politico-journalistique dans les grands duels politiques télévisés : questions et préconstruits. In : BURGER, M.; JACQUIN, J.; MICHELI, R. (orgs.) Actes du colloque "Le français palé dans les médias: les médias et le politique", 2009, p. 01-19.

Publicado
15-06-2018
Como Citar
Cunha, G. X., & Braga, P. B. (2018). Definindo o comentário metadiscursivo em uma perspectiva interacionista da Análise do Discurso. Scripta, 22(44), 171-188. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2018v22n44p171
Seção
Linguística & Interfaces