Interdisciplinaridade e conhecimento na sociedade em rede

  • Alzira Lobo de Arruda Campos Universidade de Santo Amaro, SP
  • Álvaro Cardoso Gomes Universidade de São Paulo; Universidade de Santo Amaro
  • Antônio Jackson de Sousa Brandão Universidade de Santo Amaro, SP
Palavras-chave: Palavras-chave, Interdisciplinaridade. Diálogo metódico. Conhecimento em rede.

Resumo

 

 

 

Resumo: A dúvida cartesiana como método de pesquisa é vista como um paradigma para o diálogo metódico na produção do conhecimento interdisciplinar ou para o pensar complexo, na sociedade em rede. A interdisciplinaridade, definida como uma das versões possíveis do método científico, é praticada há séculos por cientistas da mais variada natureza, embora compareça como novidade no mundo acadêmico. Interpretam-se tais dados à luz da lógica formal do conhecimento nas ciências sociais e nas humanidades, conferindo-se ênfase à teoria e à ciência dos modelos. 

 

Biografia do Autor

Alzira Lobo de Arruda Campos, Universidade de Santo Amaro, SP
Doutora em História, Livre-Docente pela Unesp, Professora Titular do Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas da Unisa.
Álvaro Cardoso Gomes, Universidade de São Paulo; Universidade de Santo Amaro
  1. Formação: Doutor e Livre-Docente em Letras pela Universidade de São Paulo, Prof. Titular
  2. Instituição de trabalho: Prof. Titular da Universidade de São Paulo e Coordenador do Mestrado Interdisciplinar da Universidade de Santo Amaro
Antônio Jackson de Sousa Brandão, Universidade de Santo Amaro, SP
Doutor em Letras pela USP; Professor titular do Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas da UNISA

Referências

BOURDÉ, Guy e MARTIN, Hervé. As escolas históricas. [s.l.p.]: Publicações Europa-América,

[s.d.].

BOURDIEU, Pierre. La distinction. Critique sociale du jugement. Paris: Éditions de Minuit, 1979.

BRAUDEL, Fernand. Histoire et sciences sociales: “la longue durée”. Annales E. S. C., no 4, oct.-

dic. 1958, Débats et Combats, pp. 725-753.

BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais. Trad. de Carlos Braga e Inácia Canelas. Lisboa:

Ed. Presença, 1972.

BRAUDEL, Fernand. La historia y las ciencias sociales. Madrid: Alianza Editorial, 1972.

DOMINGUES, Ivan (org.). Conhecimento e transdisciplinaridade II. Aspectos metodológicos.

Belo Horizonte: Editora da UFMG: 2005.

FABIANI, Jean-Louis. Pour en finir avec la réalité unilinéaire. Le parcours méthodologique de

Andrew Abbott. Annales. Histoire, Sciences Sociales. 58e. année, n. 3, mai-juin 2003.

GUIMARÃES, Flávio Romero. Um novo olhar sobre o objeto da pesquisa em face da abordagem

interdisciplinar na pós-graduação. In: FERNANDES et al. (Org.) O fio que une as pedras: a pesquisa

interdisciplinar na pós-graduação. São Paulo: Ed. Biruta, 2002.

LÉVI-STRAUSS, Claude. L’Anthropologie structurale. Paris: Plon, 1958.

MARTY, Éric, apud: EICHENBERG, Fernando. O amor à linguagem. Reflexões sobre Roland

Barthes, 100. Ilustríssima, C8. Folha de S. Paulo, 22/11/2015.

OPERÉ, Fernando. Relatos de cautivos en las Américas desde Canadá a la Patagonia: siglos XVI

al XX. Buenos Aires: Corregidor, 2016.

PINTO, Paulo Roberto Margutti. Lógica e Transdisciplinaridade. In DOMINGOS, Ivan.

(Org). Conhecimento e Transdisciplinaridade II. Aspectos metodológicos. Belo Horizonte: Editora

da UFMG, 2005, p. 137-168.

ROBIN, Regine. Histoire et linguistique. Paris: Armand Colin, 1973.

Publicado
15-06-2018
Como Citar
Lobo de Arruda Campos, A., Cardoso Gomes, Álvaro, & de Sousa Brandão, A. J. (2018). Interdisciplinaridade e conhecimento na sociedade em rede. Scripta, 22(44), 263-274. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2018v22n44p263
Seção
Linguística & Interfaces

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)