Navegações ou a descoberta de si (?)

  • Rodrigo Corrêa Martins Machado Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Navegações. Os Lusíadas. Camões. Sophia de Mello Breyner Andresen.

Resumo

Navegações (1983) é um livro, de Sophia Andresen, no qual há reflexões acerca de questões e problemas que assolam a história contemporânea de Portugal e a imagem mítica do ser português desbravador. Sendo assim, este trabalho tem como objetivo analisar a obra andreseniana em destaque em contraste com Os Lusíadas, de Luís de Camões. Enquanto o texto camoniano mais se aproxima de uma epopeia tradicional, marcado pela viagem marítima em barcos, com herói, uma narração, uma glorificação, Navegações pode ser considerada uma epopeia moderna, em que o sujeito poético, sobrevoando o globo em um avião, questiona o país, a vida e o presente em que vive.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Corrêa Martins Machado, Universidade Federal Fluminense
Doutor em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense. Professor Adjunto do instituto de Educação de Angra dos Reis da Universidade Federal Fluminense

Referências

ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner. O Nome das Coisas. Lisboa: Moraes editores, 1977.

ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner. Navegações. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1983.

ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner. Obra Poética. 2ª ed. Alfragide: Caminho, 2011.

ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner. Discurso proferido na premiação de Navegações. In: Obra Poética.2ª ed. Alfragide: Caminho, 2011, p. 699 – 700.

ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner; SENA, Jorge de. Correspondência 1959 – 1978. 3ª ed. Lisboa: Guerra e Paz, 2010.

BENJAMIN ,Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura história da cultura.7ª Ed. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BOECHAT, Virgínia Bazzetti. Na rota das navegações: Sophia de Mello Breyner Andresen. Dissertação (mestrado). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004, 173f.

CAMÕES, Luis Vaz de. Os Lusíadas. 2ª ed. Porto: Porto Editora, 1954.

EIRAS, Pedro. A face nocturna dos deuses em Sophia de Mello Breyner Andresen. Revista Colóquio/ Letras, Lisboa, n° 176, 28 – 37, jan/abr, 2011.

LOURENÇO, Eduardo. O Labirinto da saudade: psicanálise mítica do destino português. Lisboa: Gradiva, 2000.

MACHADO, Rodrigo Corrêa Martins. A emergência de Abril em “O Nome das Coisas” (1977): poesia e história na obra de Sophia de Mello Breyner Andresen. Saarbrücken: Novas Edições Acadêmicas, 2014.

MAFFEI, Luis. “Em lugar de imperfeição”. In: Revista Colóquio/ Letras, Lisboa n° 176, 46 – 54, jan/abr, 2011.

MALHEIRO, Helena. O enigma da Sophia: da sombra à claridade. Alfragide: Ofici-na do Livro, 2008.

MAXWELL, Keneth. O império derrotado: revolução e democracia em Portugal. Trad. Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

SECCO, Lincoln. A Revolução dos Cravos e a crise do império colonial português: economias, espaços e tomadas de consciência. São Paulo: Alameda, 2004.

SILVEIRA, Jorge Fernandes da. Discurso/Desconcerto: alguns nós na literatura portuguesa. Série conferências. Vol. 8. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras da UFRJ, 2000.

SOUSA, Sofia de Silva. “Só a arte é didática”: Luís de Camões por Sophia de Mello Breyner Andresen. Floema (UESB), vol. 7, 123 – 135, 2010.

VERDE, Cesário. O sentimento dum ocidental. In: Obra poética integral de Cesário Verde (1855-86). Org. Ricardo Daunt. São Paulo: Landy Editora, 2006, p. 131 – 138.

Publicado
15-06-2018
Como Citar
Machado, R. C. M. (2018). Navegações ou a descoberta de si (?). Scripta, 22(44), 81-92. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2018v22n44p81
Seção
Literaturas