[1]
R. S. Junqueira, “A obsessão das sombras ou culto do fragmento e pulverização da identidade no teatro de Raul Brandão”, Rev. SCRIPTA, vol. 7, nº 13, p. 137-161, out. 2003.