[1]
N. G. Codinhoto e N. F. Rech, “Considerações sobre o modal teleológico”, Rev. SCRIPTA, vol. 24, nº 51, p. 47-70, set. 2020.