VELHICE EM IDOSOS CENTENÁRIOS À LUZ DE JUNG E TORNSTAM

  • Maurício Parada Paim Filho Universidade Católica do Salvador
  • Elaine Pedreira Rabinovich Universidade Católica do Salvador (UCSal)
Palavras-chave: velhice, centenários, Jung, Tornstam

Resumo

Esta pesquisa visou compreender como idosos centenários vivem esse período da vida por meio de narrativas focalizando aspectos que permitiram ao centenário chegar à idade atual. Tais relatos foram interpretados por conceitos junguianos e outros. Participaram três mulheres e um homem centenários, dois da Região Metropolitana de Salvador\Ba e dois da zona rural da Bahia. Foram utilizados: questionário biopsicossocial e roteiro de entrevista. A análise foi organizada em quatro categorias temáticas: Senex/Puer; religiosidade/ espiritualidade; gerotranscendência; e limitações físicas, sensoriais, cognitivas e maus-tratos. Concluiu-se que as limitações derivadas da idade avançada fazem com que os idosos centenários tenham a polaridade arquetípica Senex mais desenvolvida do que a polaridade Puer, pois esta permite um menor gasto de energia e possibilita um maior controle dos idosos sobre sua vida; e a religiosidade\espiritualidade aparece como um potente recurso que permite aos idosos darem sentido à vida no atual momento de suas existências. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elaine Pedreira Rabinovich, Universidade Católica do Salvador (UCSal)

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1965), mestrado em Psicologia Experimental/USP (1992) e doutorado em Psicologia Social/USP (1997) e pós-doutorado (USP, 1998; 2012). Atualmente é professora da Universidade Católica do Salvador. Membro fundador do LAPSI/IPUSP, foi editor assistente da Revista Brasileira Crescimento e Desenvolvimento Humano-FSP/USP. Atua na área de psicologia clínica. Como pesquisadora, sua área é Psicologia do Desenvolvimento e Ambiental, nos seguintes temas: desenvolvimento, família, moradia, nomes, criança e ambiente. Parecerista Ad Hoc de Psicologia em Estudo, Psicologia: Reflexão e Crítica e Saúde, Psicologia USP e Sociedade. Editor com Ana Cecília Bastos de Linving in Poverty: developmental poetics of cultural realities (2009, IAP), com quem colabora, conjuntamente com Prof. Dr. Jaan Valsiner, em pesquisa subvencionado pelo CNPq. Participou, desde 1996, como professora visitante do curso de pós-graduação do Dpto. de Psicologia Social do Instituto de Psicologia/USP, Psicologia Social e História, em conjunto com a Profa Dra. Eda Tassara e o Prof. Dr. Jean-Pierre Goubert, da EHSS. Foi convidada por este professor como professora visitante na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (2001). Realizou bolsa sanduíche no Laboratoire de Psychologie de Environementale (2001), em 2002, com Profa Dra Carole Desprès, de Faculté d´Architecture et Urbanisme de Laval, em Quebec, Canadá. Em 2008, passou a fazer parte da diretoria do IBECC/UNESCO-SP, e, em 2012, como membros consultor. É pesquisadora do grupo de ambiental do Instituto de Estudos Avançados/USP. Desde 2009, coordena o Grupo de Pesquisas Família, (auto)biografia e poética -FABEP/ UCSAL. Publicou, com Bastos, Poética da família e da comunidade (2012). Finalizou pós-doutorado supervisionado pela Prof. dra Marina Massimi (USP-RP), Os Herdeiros do Barão de Hirsch: um estudo de caso, publicado como livro e em artigos. Como resultado da pesquisa no grupo FABEP, foi publicado o livro Autoetnografia colaborativa e investigação autobiográfica. A Casa, os Silêncios e os Pertencimentos Familiares, onde é organizadora junto com Ana Cecília de Sousa Bastos, Maria Angélica Vitoriano da Silva e Teresa Cristina Merhy Leal. Foi realizado um video a partir do grupo, expondo a sua temática, por Márcio Dórea.É coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas Estudos Jungianos em Família (UCSal).

Publicado
22-07-2022
Como Citar
Parada Paim Filho, M., & Rabinovich, E. P. (2022). VELHICE EM IDOSOS CENTENÁRIOS À LUZ DE JUNG E TORNSTAM. Sinapse Múltipla, 11(1), 48-64. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/sinapsemultipla/article/view/23486
Seção
SINAPSE SOCIAL