Complicações diagnósticas de dois casos neurológicos caninos: do atendimento clínico à resolução final

  • Camila B Pinto PUC Minas
  • Eduardo M Bahia PUC Minas
  • Rodrigo R Randazzo PUC Minas
  • Milene A Rachid ICB-UFMG
  • Taismara S Simas Clínica Veterinária Santo Agostinho BH-MG
  • Vitor Márcio Ribeiro Departamento de Medicina Veterinária da PUC Minas Betim; Clínica Veterinária Santo Agostinho BH-MG
Palavras-chave: Casos neurológicos, cães, cinomose canina, hemangiossarcoma

Resumo

O diagnóstico final das afecções neurológicas depende desde a correta anamnese, exames laboratoriais e de imagem, até a necropsia, onde sua execução, coleta e envio de material são imprescindíveis para confirmação ou definição de patologias e agentes etiológicos. A carência de atendimentos especializados, o uso restrito de equipamentos como ressonância magnética e tomografia computadorizada, a restrição financeira e erros durante a necropsia e envio de material para histopatologia são os principais empecilhos para o diagnóstico final. Esse estudo apresenta dois casos clínicos, onde é analisada toda a seqüência de atendimento, suas dificuldades e limitações. Um deles aborda a cinomose canina, doença febril multissistêmica e altamente contagiosa que provoca desordens respiratórias, gastrointestinais, nervosas, oftalmológicas e tegumentares. O outro descreve o atendimento a um animal com diagnóstico final de hemangiossarcoma, tumor que se destaca entre os tumores do sistema nervoso de cães.  É maligno, agressivo e afeta principalmente cães mais velhos.
Publicado
04-07-2014
Seção
SINAPSE AGRÁRIA