SARTRE, ENTRE A JUSTIÇA E A MORAL: UMA COMPREENSÃO FENOMENOLÓGICA DA EXISTENCIA DO PARA-SI ENQUANTO LIBERDADE E CONSTITUTIVO DO VALOR

Thiago Teixeira Santos

Resumo


O presente artigo vislumbra a compreensão da realidade humana nos limites epistemológicos do existencialismo de Jean-Paul Sartre. Identificamos a realidade do para-si como realidade humana que, a rigor, se constitui a partir do nada como estrutura. Destarte, atestamos que a consciência — indicativo da existência humana —, impulsiona o homem rumo à constituição de sua essência e também do valor, de modo horizontalizado. Há, na perspectiva de Sartre, uma transcendência no que tange à realidade do homem e nós a verificamos a partir de um pressuposto bastante caro ao existencialismo sartriano: a liberdade que ora se analise em contraste com a justiça e a moral.


Palavras-chave


Sartre. Existencialismo. Justiça. Liberdade. Moral

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Igor S.; JACOBELIS, Paola G.; BELO Renato; SOUZA, Thana de Souza. O Drama da Existência: Estudos sobre o pensamento de Sartre. São Paulo: Humanitas, 2003.

ANDRADE, Abrahão Costa. Militante da Liberdade. As comemorações do centenário de nascimento de Jean Paul Sartre reavivam o interesse pelo pai do existencialismo ateu. Discutindo Filosofia, São Paulo, ano. 1, nº 1. p. 32-37.2005.

BARBOSA, Elyana. Jean-Paul Sartre, o Filósofo da Esperança. In: CESAR, Marcondes Constança; BULCÃO, Marly (Org.). Sartre e seus contemporâneos: Ética, racionalidade e imaginário. São Paulo: Idéias& Letras, 2008, p.9-16.

BENNY, Lévy. O Testamento de Sartre. Porto Alegre: L&PM, 1986.

BEUVOIR, Simone de. Por uma moral da ambiguidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.

BOLLONOW, Otto Fiedrich. Filosofia Existencial. Coimbra: Arménio Amado, 1946.

BORNHEIM, Gerd Alberto. Debates de Filosofia: Sartre, Metafísica e Existencialismo. São Paulo: Perspectiva, 1984.

CARDOSO, Delmar. A liberdade em L’être et le néant: Descrição e problemas. Síntese - Revista de Filosofia, Belo Horizonte, n.103, 2005, p. 203-218.

COHEN-SOLAL, Annie. Sartre. Porto Alegre: L&PM, 1986.

COLETTE, Jaques. Existencialismo. Porto Alegre: L&PM, 2009.

ETCHEVERY, Auguste. O conflito atual dos humanismos. Porto: Tavares Martins, 1946.

FIGURELLI, Roberto. Sartre e a literatura engajada. Revista Letras, Curitiba, n.36, 1987, p.89-111.

GÓIS, Cléa. Sartre: da consciência do Ser e o Nada ao Existencialismo é um humanismo. In: CESAR, Marcondes Constança; BULCÃO, Marly (Org.). Sartre e seus contemporâneos. Ética, racionalidade e imaginário. São Paulo: Idéias & Letras, 2008.

HEIDEGGER, Martin. Ontologia: hermenêutica e facticidade. Tradução de Renato Kirchner. Petrópolis: Vozes, 2012.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. 2v.12.ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

HEIDEGGER, Martin. Sobre o Problema do Ser: o caminho do campo. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1969.

JEANSON, Francis. Le problème morale et le pensée de Sartre. Paris: Seuil, 1965.

KANT, Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Tradução Tania Maria Bernkopf. São Paulo: Abril Cultural, 1980 (Coleção Os Pensadores).

KIERKEGGARD, Soren. O conceito de angústia: uma simples reflexão psicológico- demonstrativa direcionada ao problema dogmático do pecado original. Tradução de Álvaro Luiz Montenegro Valls. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.M

LANDSBERG, Paul-Louis. O sentido da ação. Tradução Maria Helena Kühner. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1968.

LEOPOLDO E SILVA, Franklin. Ética e Literatura em Sartre: ensaios introdutórios. São Paulo: UNESP, 2004.

LEOPOLDO E SILVA, Franklin. O conhecimento de si. Rio de Janeiro: Casa da Palavra: São Paulo: Casa do Saber, 2011.

LEOPOLDO E SILVA, Franklin. O Imperativo Ético de Sartre. In: NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 151-160.

MARCONDES, Constança Cesar; BULCÃO, Marly (Org). Sartre e seus contemporâneos. Ética, racionalidade e imaginário. São Paulo: Idéias & Letras, 1998.

MENDONÇA, Cristina Diniz. O Mito da Resistência. Tese de Doutorado. São Paulo: USP, 2001.

MESZAROS, Istvan. A obra de Sartre: busca da liberdade. São Paulo: Ensaio, 1991.

MORAVIA, Sérgio. Sartre. Tradução de José Eduardo Rodil. São Paulo: Martins Fontes, 1970.

MOUTINHO, Luiz Damon. Sartre: Existencialismo e Liberdade. São Paulo: Moderna, 1995.

MÜLLER, Marcos. A má-fé e a teoria da negação em Sartre. Manuscrito.V.V, n.2, Campinas, 1982.

MÜNSTER, Arno. Sartre et la Morale. Paris: L’Harmattan, 2007.

NOUDELMANN, F.; PHILIPPE, G. Dictionnaire Sartre. Paris: Champion, 2004.

OLIVEIRA, Ibraim Vitor de; SANTOS, Magda Guadalupe dos (Org).Tempos da Metafísica. Belo Horizonte: Tessitura, 2011, p. 53-93.

PERDIGÃO, Paulo. Existência & Liberdade: uma introdução à filosofia de Sartre. Porto Alegre: L&PM, 1995.

PFIEL, Claudio Luis. Moral em Sartre: uma porta para o possível. In: CESAR, Marcondes Constança; BULCÃO, Marly (Org.). Sartre e seus contemporâneos. Ética, racionalidade e imaginário. São Paulo: Idéias& Letras, 2008. p.147-161.

POVOAS, Jorge Freire. A Má-fé na Analítica Existencial Sartriana.In: CESAR, Marcondes Constança; BULCÃO, Marly (Org.). Sartre e seus contemporâneos. Ética, racionalidade e imaginário. São Paulo: Idéias& Letras, 2008.p. 161-199.

REYNOLDS, Jack. Existencialismo. Tradução: Cesar Souza. Petrópolis: Vozes, 2013.

RIZK, Hadi. Comprendre Sartre. Paris: Armand Colin, 2011.

SANTOS, Magda Guadalupe dos. Alteridade, Facticidade e igualdade: leituras de Sartre, Beauvoir e Levinas no processo de radicalização da Metafísica no século XX. In:

SARTRE, Jean-Paul. A Imaginação. Tradução Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 2008.

SARTRE, Jean-Paul. A transcendência do ego: esboço de uma descrição fenomenológica. Tradução de João Batista Kreuck. Rio de Janeiro: Vozes, 2013.

SARTRE, Jean-Paul. Anarquia e Moral. Entrevista de Jean-Paul Sartre concedida a R. Fornet-Betancourt, M. Casañas e A. Gomes. Concordia, Espanha, nº1, p. 75-77. 1982.

SARTRE, Jean-Paul. Crítica da Razão Dialética: precedido por Questões de Método. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

SARTRE, Jean-Paul. Diário de uma guerra estranha. Tradução Aulyde Soares Rodrigues e Guilherme João de Freitas Teixeira.2.ed.Rio de Janeiro: Nova Fronteira 2005.

SARTRE, Jean-Paul. Esboço de uma Teoria das Emoções. Porto Alegre: L&PM, 2010.

SARTRE, Jean-Paul. O existencialismo é um humanismo. Tradução João Batista Kreuch. Petrópolis: Vozes, 2010.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada: Ensaio de ontologia fenomenológica.18.ed.Petrópolis: Vozes, 2009.

SARTRE, Jean-Paul. Situações I. Lisboa: Europa-America, 1968.

SARTRE, Jean-Paul. Verdade e existência. Tradução Marcos Bagno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

SCHELER, Max. Da reviravolta dos valores. Tradução Marco Antônio dos Santos Casanova. Petrópolis: Vozes, 1994.

SIRINELLI, Jean-François. Jean-Paul Sartre, um intelectual engajado. In NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p.161-169.

SOUZA, Thana Mara de. Sartre e a literatura engajada. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

TROGO, Sebastião. O impasse da má-fé na moral de J. P. Sartre. Belo Horizonte: Ciência Jurídica, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Virtuajus