A INCONSTITUCIONALIDADE DA TIPIFICAÇÃO DO CRIME DE MANTER ESTABELECIMENTO EM QUE OCORRA EXPLORAÇÃO SEXUAL

André Duarte Braga, Luiz Henrique Nogueira Araujo Miranda

Resumo


RESUMO

 

O presente trabalho possui como objetivo a análise da inconstitucionalidade do crime elencado no Art. 229 do Código Penal Brasileiro, qual seja, manter estabelecimento em que ocorra “exploração” sexual.

Para isso, utilizou-se o método de pesquisa bibliográfico, constituído, principalmente, por livros e artigos científicos que abordam o tema.

Explicitaremos tal evidente afronta à Constituição Brasileira, bem como a notória lesão ao princípio da lesividade, da adequação social, e ao princípio da legalidade estrita. Ainda, traçaremos um comparativo entre a profissão-prostituição em nosso país e a prostituição legalizada e cultural dos Países Baixos, onde a prostituição não é só mais uma profissão, mas uma cultura enraizada.

Por fim, comprovaremos que a manutenção de estabelecimentos especializados em atividades sexuais, destinados e frequentados por maiores de 18 anos de idade não merece sua criminalização, não restando dúvidas que a sua tipificação no Código Penal não deverá persistir.


Palavras-chave


Casa de prostituição. Inconstitucionalidade. Lesividade. Moral. Princípios.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

Amsterdam.info. Prostitution in Amsterdam . Acesso em: 31 de outubro de 2016.

BARBOSA, Rui apud MENDES In: BRANCO; COELHO; MENDES, 2010.

BITENCOURT, Cezar Roberto. Tratado de Direito Penal. Volume 4: Dos crimes contra a dignidade sexual até dos crimes contra a fé pública – 8ª Ed. Saraiva. São Paulo. 2014.

BRASIL. Código Penal brasileiro (CP - Decreto-Lei n° 2.848/40).

FERRAJOLI, Luigi. Direito e razão: teoria do garantismo penal / Luigi Ferrajoli; prefácio da 1. Ed. Italiana, Noberto Bobbio. -3. Ed. Ver. – São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2010.

GRECO, Rogério. Curso de direito penal – Parte Geral. v. I; 12ª. ed. Niterói: Impetus, 2010.

NUCCI, Guilherme de Souza. Crimes contra a dignidade sexual.Comentários da Lei 12.015. São Paulo, Revista dos Tribunais, 2009.

PRADO, Luiz Regis. Curso de Direito penal brasileiro – parte geral, p.83.

ROXIN, Claus. Estudos de direito Penal – 2ª ed. tradução de Luís Greco. – Rio de Janeiro: Renovar, 2008.

SILVESTRONI, Mariano H.. Teoria Constitucional del delito, p.155


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Virtuajus