BURGUÊS! A IRREFLEXÃO QUE NEGA O DIREITO DE SER

Thiago Proti

Resumo


Resumo

O presente artigo pretende refletir sobre o significado de um conceito que pode ser o ponto de partida da filosofia, mas que exige um grande esforço para se considerar que o uso de certo conceito sempre deve ser posterior ao julgamento correto de sua justeza ao sentido daquilo que se pretende entender enquanto tal. A análise do termo burguês segue aqui um itinerário histórico-conceitual que revela sua complexidade, como a da própria análise e reflexão filosófica em geral.

Palavras-chave


Burguês, conceito, investigação lógica, método, linguagem

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

DESCARTES, René. Discurso do método; Meditações; Objeções e respostas; As paixões da alma; Cartas. São Paulo: Victor Civita, 1973. 336p. (Os pensadores)

POPPER, Karl Raimund. Miséria do Historicismo;The Poverty of Historicism. Cultrix/Edusp, 1980. 125p.

WITTGENSTEIN, Ludwig Joseph Johann. Tractatus logico-philosophicus. São Paulo: Edusp, 1994. 294p.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Bragança Paulista: Vozes, 2012. 598p. (Pensamento Humano)

MARX, Karl. Miséria da Filosofia. São Paulo: Martin Claret, 2007. 203p. (A obra-prima de cada autor.)


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Virtuajus