Sociedade Pré-emancipada e a Possibilidade da Violência Social Erradicada, o Combate da Inferioridade Sistêmica sob à Ótica da Emancipação do Sujeito e os Reflexos para os Direitos Humanos

Simone Diogo de Souza, Renata Furtado de Barros

Resumo


A dinâmica das relações intersubjetivas relaciona-se com as mais diversas e complexas formas de comportamento social. O Princípio da Justiça social e a emancipação de cada indivíduo está diretamente presente na liberdade em seus diversos aspectos. O presente artigo propõe uma reflexão evolutiva do papel do indivíduo na sociedade atual, analisando os aspectos produtivos das relações sociais e a emancipação do mesmo perante o Estado.


Palavras-chave


Individuo, estado, relação intersubjetivas.

Texto completo:

PDF

Referências


BONADIMAN, Daniela. A inconstitucionalidade e a ilegalidade da alta programada. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XVI, n. 118, nov./2013. Disponível em:

GALUPPO, Marcelo Campos. O que são os direitos fundamentais? In: SAMPAIO, José Adércio Leite (Org.). Jurisdição constitucional e direitos fundamentais. Belo Horizonte: Del Rey, 2003, p. 213-238.

EMIL A. Sobbtka. Liberdade, reconhecimento e emancipação – Raízes da teoria da justiça de Axel Honneth. Sociologias, Porto Alegre, ano 15, no 33, mai./ago. 2013, p. 142-168.

HABERMAS, Jurgen. Between facts and norms: contributions to a discourse theory of law and democracy. Tradução de William Rehg. New Bakersiville: MIT, 1996.

HEGEL, Georg W. F. Princípios da filosofia do direito. São Paulo: Martins Fontes, 1997. HONNETH, Axel. Sofrimento de indeterminação: uma reatualização da Filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Singular/Esfera pública, 2007.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Tradução de Luiz Repa. São Paulo: Ed. 34, 2003.

HONNETH, Axel. Das Recht der Gesellschaft: Grundriß einer demokratischen Sittlichkeit. Berlin: Suhrkamp, 2011.

JONAS, Hans. Técnica, medicina y ética. Barcelona; Buenos Aires; México: Paidós, 1997.

LAFER, Celso. A ONU e os direitos humanos. Estud. av., São Paulo , v. 9, n. 25, p. 169-185. Disponível em: . Acesso em: 13. jul. 2015.

MARX, Karl. O Capital: Crítica da economia política. Livro I: O processo de produção do capital. Trad. Rubens Enderle. São Paulo: Bontempo, 2013.

MEAD, George Herbert. Mind, self and society: from the standpoint a social behaviorism. Chicago: The University of Chicago, 1962.

MENDONÇA, Ricardo Fabrino. Reconhecimento em debate: os modelos de Honneth e Fraser em sua relação com o legado Habermasiano. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 29, p. 169-185, nov. 2007.

NOBRE, Marcos. Luta por reconhecimento: Axel Honneth e a Teoria Crítica. In: HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Tradução de Luiz Repa. São Paulo: Editora 34, 2003.

PINTO, Celi Regina Jardim. Nota sobre a controvérsia Fraser-Honneth informada pelo cenário brasileiro. In: Lua Nova, São Paulo, n. 74, p. 35-58, 2008. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2018.

PONCHIROLLI, Osmar; SANTOS FILHO, Marco Aurélio dos. Contribuições da teoria do reconhecimento para os estudos organizacionais: um olhar a partir da teoria crítica. FAE - Centro Universitário. Núcleo de Pesquisa Acadêmica. Programa de Apoio à Iniciação Científica. 12.º caderno de iniciação: PAIC/2010-2011. Curitiba, 2011, p. 147-168. Disponível em: Acesso em: 03 fev. 2018.

RODOTÀ, Stefano. Lo specchio di Stendhal: Riflessioni sulla riflessioni dei privatisti. In: Rivista Critica del Diritto Privato, n. 5, Napoli: Jovene, 1997.

RUBIN, Isaak Il’ich. A Teoria Marxista do Valor. Tradução de José Bonifácio de S. Amaral Filho. São Paulo: Brasiliense Editora S.A., 1980. SANTOS, Laymert G. dos. Alienação e capitalismo. São Paulo: Brasiliense Editora S.A., 1982.

SILVA, Marcelo Kunrath; MICHELOTTI, Fernando Canto. Conflitos por reconhecimento na modernidade periférica entre a igualdade e a distinção. In: Politica & Sociedade, v. 8, n. 14, p. 447-474, abr. 2009. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2018.

SIMON, Pedro. Declaração universal dos direitos humanos: ideal de justiça, caminho e paz. Brasília: Senado Federal, Secretaria Especial de Editoração e Publicações, 2008. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2018.

SOUZA, Jessé. A construção social da subcidadania: para uma sociologia política da modernidade periférica. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2003.

TAYLOR, Charles. The politics of recognition. In: GUTMANN, Amy (Ed.). Multiculturalism: Examining the politics of recognition. Princeton: Princeton University Press, 1994, p. 25-73. Disponível em: . Acesso em: 02 abr. 2014.

VALENTE, Júlia Leite; DE CAUX, Luiz Philipe. O que é teoria do reconhecimento? Pólos de Cidadania, UFMG, 2010. Disponível em: . Acesso em: 02 abr. 2014.

VIEIRA, Oscar Vilhena. A gramática dos direitos humanos. In: Boletim Científico ESMPU, Brasília, ano 1, n. 4, p. 13-33, jul./set. 2002. Disponível em: Acesso em: 02 abr. 2014.

WERLE, Denílson Luís. Lutas por reconhecimento e justificação da normatividade (Rawls, Taylor e Habermas). 2004. Tese (Doutorado) - USP, Departamento de Filosofia/FFLCH, São Paulo.

WERLE, Denílson Luís; MELO, Rúrion Soares. Reconhecimento e justiça na teoria crítica da sociedade em Axel Honneth. In: NOBRE, Marcos (Org.). Curso livre de Teoria Crítica. Campinas: Papirus, 2008, p. 183-198.

WINNICOTT, Donald Woods. O ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a teoria do desenvolvimento emocional. Tradução de Irineo Constantino Schuch Ortiz. Porto Alegre: Artes Médicas, 1983. Disponível em: Acesso em: 01 fev. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Virtuajus