A Quarta Fase da Dissolução Societária

  • Gustavo Rezende Faculdade de Direito Milton Campos
  • Vinícius José Marques Gontijo Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Faculdade de Direito Milton Campos
Palavras-chave: Dissolução, Liquidação, Extinção da pessoa jurídica, Falência.

Resumo

A extinção de uma pessoa jurídica é o resultado de um procedimento de dissolução societária, capitaneada por teoria dissolutória que perpassa o sistema legal brasileiro, este procedimento é compreendido por quatro etapas (ou fases), a saber: a) dissolução, b) liquidação, c) extinção e d) exigibilidade de obrigações após a extinção da sociedade. A quarta etapa foi inicialmente desvendada por pesquisas realizadas por Fran Martins, sendo que, no entanto, grande parte da doutrina brasileira até hoje discorda da existência desta última etapa. Dessa feita, neste nosso articulado, investigamos a compreensão técnica de cada uma das fases/etapas do procedimento de dissolução para, ao final, analisar a figura técnica da quarta fase tendo por paradigma a Lei de Falências (Lei n. 11.101/2005). A partir do nosso estudo, com emprego da metodologia jus-positivista dogmática kelseniana, é possível demonstrar de maneira precisa e insofismável a conclusão técnica da existência jurídica desta quarta fase, que é fundamental na compreensão completa do instituto jurídico da dissolução-procedimento. Naturalmente, não olvidamos as divergências havidas sobre o tema, bem como a necessidade de alocar pesquisas acerca das consequências teóricas e práticas da conclusão da existência da quarta fase na dissolução-procedimento, ou seja a exigibilidade de obrigações mesmo após a “baixa” da pessoa jurídica no órgão do registro competente.

Biografia do Autor

Gustavo Rezende, Faculdade de Direito Milton Campos

Mestrando em Direito das Relações Econômicas e Sociais, Estado Democrático de Direito e Políticas Públicas da Faculdade de Direito Milton Campos. Pós-Graduação lato sensu em Direito Tributário. .

Vinícius José Marques Gontijo, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Faculdade de Direito Milton Campos

Doutor em Direito Comercial pela UFMG. Mestre em Direito Comercial pela UFMG. Professor no Curso de Mestrado em Direito das Relações Econômicas e Sociais, Estado Democrático de Direito e Políticas Públicas da Faculdade de Direito Milton Campos. Professor no Curso de Graduação em Direito da Faculdade de Direito Milton Campos. Professor no Curso de Graduação em Direito da PUC/MG. Ex-Professor de Graduação da UFMG e UFOP.

Referências

ASCARELLI, Tullio. Problemas das Sociedades Anônimas e Direito Comparado. 1ª edição. Editora Bookseller. Campinas. 2000.

BARBI FILHO, Celso. Dissolução Parcial de Sociedades Limitadas. Belo Horizonte: Madamentos, 2004.

COELHO, Fabio Ulhoa. Manual de Direito Comercial. 23ª ed., 2ª tiragem. Editora Saraiva. São Paulo. 2011.

CARNELUTTI, Francesco. Teoria Geral do Direito. Trad. Port. Livr. Acadêmica Saraiva. São Paulo. 1942.

CARVALHOSA, Modesto. Comentários ao Código Civil. Editora Saraiva, v. 13, São Paulo. 2003.

GONÇALVES NETO, Alfredo de Assis. Direito de Empresa. Editora Revista dos Tribunais. São Paulo. 2007.

MARTINS, Fran, Curso de Direito Comercial. 29. edição. Editora Forense. Rio de Janeiro, 2005.

MARTINS, Fran. Comentários à Lei de Sociedades Anônimas. 4ª edição. Editora Forense. Rio de Janeiro. 2010.

PENTEADO, Mauro Rodrigues, Dissolução e Liquidação de Sociedade. 2ª edição. Editora. Saraiva. São Paulo. 2000.
Publicado
18-08-2020