REPENSANDO A BANALIDADE DO MAL EM TEMPOS HODIERNOS À LUZ DO PENSAMENTO DE HANNAH ARENDT

Uma defesa a direitos fundamentais

  • Sara de Carvalho Campos
Palavras-chave: Mal Banal, Writ, Hannah Arendt, Tempos hodiernos

Resumo

O objetivo do presente trabalho é expor uma análise crítica a liminar do Habeas Corpus 183.44, o qual restou prejudicado. Como pacientes do remédio, apresentam-se todas as
pessoas vulneráveis, presas a título provisório. Ante ao cenário de calamidade, em razão da pandemia de Covid-19, a defensoria pública pleiteou pelo deferimento da liminar,
bem como, pelo relaxamento imediato da prisão com ou sem imposição de outras medidas cautelares, ou subsidiariamente, a substituição da prisão preventiva por prisão
domiciliar. A crítica pontual, concernente ao writ é sobre a alegação de supressão de instancia em detrimento da demanda de celeridade e de tutela ao direito a vida. A
referida decisão, objeto de nossa indignação, nos parece produto da encarnação de um mal banal, conceito proposto por Hannah Arent, filósofa alemã. O mal banal, na decisão
em análise, revela-se na inabilidade para o pensamento, traduz-se na inabilidade de pensar ou dialogar com valores de nosso ordenamento.

Referências

AGUIAR,Odilio Alves. Hannah Arendt e o Direito( parte II): o outlaw e o direito a ter direitos.
Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000200403
Acesso em: 13 de agosto de 2020.

ANDRADE, Ueliton Santos de; FERREIRA, Fábio Félix. Crise no sistema penitenciário
brasileiro: capitalismo, desigualdade social e prisão. Disponível
em:http://depen.gov.br/DEPEN/depen/espen/Crisenosistemapenitenciriobrasileiro2015.pdf
Acesso em: 15/07/20

ANGELO, Tiago. Brasil é denunciado na ONU e OEA por avanço de coronavírus nos
presídios. Disponível em: https://www.conjur.com.br/2020-jun-23/brasil-denunciado-onu-
avanco-coronavirus-presidios Acesso em: 15/07/20

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense universitária,2010.

ARENDT, Hannah. A Promessa da política. Relógio d’água, 2007

ARENDT, Hannah. Homens em tempos sombrios. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo: anti-semitismo, imperialismo e
totalitarismo. Companhia das Letras, 2012.

BRASIL, Supremo Tribunal Federal . Habeas Corpus 182729 Constitucional Penal. Relator:
Min. Luiz Fux , 27 de março 2020. Diário de Justiça eletrônico, Brasília DF, 27 de março
2020 Disponível
em: https://jurisprudencia.stf.jus.br/pages/search?base=decisoes&sinonimo=true&plural=tru
e&page=1&pageSize=10&queryString=Hc%20182729&sort=_score&sortBy=desc
Acesso em: 13 de agosto de 2020.

BRASIL, Supremo Tribunal Federal. Habeas Corpus 183.443 Constitucional Penal. Relator:
Min. Luiz Fux , 06 de abril de 2020. Diário de Justiça eletrônico, Brasília DF, 06 abril 2020
Disponível em: https://jurisprudencia.stf.jus.br/pages/search/despacho1090849/false Acesso
em: 06 de julho de 2020.

CASARA, Rubens. Processo Penal do Espetáculo. Disponível
em:http://www.justificando.com/2015/02/14/processo-penal-espetaculo/ Acesso em: 21 de
julho de 2020.

FERNANDES, Bernardo Gonçalves. Curso de Direito Constitucional. Editora JusPodivm,
2017.

FOUCALT, Michel. Vigiar e Punir: história da violência das prisões. 31a edição. Editora
vozes Ltda:Petrópolis,2006.

FREITAS, Carla Campos Amorelli de; BARCELLOS, Felipe. Sistema prisional: Crônica
de “excluídos” da constituição. Disponível em: Estudos contemporâneos das ciências
criminais na defesa do ser humano. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2009.

LAFER,Celso. A reconstrução dos Direito Humanos: um diálogo com o pensamento de
Hannah Arendt. Companhia das Letras, 1988. (p.151)

MASSON, Cleber. Direito penal: esquematizado-Parte Geral-Vol.1. Editora Forense Ltda.
2016.

OLIVEIRA, Cícero Josinaldo da Silva. Jusnaturalismo: o alvorecer e o ocaso da ideia de
direitos naturais. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3549 Acesso
em: 11 de agosto de 2020.

SCHIO,Sônia. KUSKOSKI,Matheus Soares(org). Hannah Arendt: Pluralidade, mundo e
política. Porto Alegre: Observatório Gráfico, 2013.
Publicado
01-04-2021