A CRIATIVIDADE NA EDUCAÇÃO JURÍDICA

  • Priscila Pereira Cavalcanti dos Santos Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Palavras-chave: Criatividade, Estudo de Caso, Educação Jurídica, Competências, Direito

Resumo

A pesquisa, que possui campo de estudo em Teoria do Direito, teve por objetivo verificar, através dos métodos de revisão de literatura, estudo de caso e entrevistas, se há instituições de educação jurídica que ainda não adotam métodos capazes de contribuir na formação de profissionais do Direito mais criativos, por se tratar de uma habilidade fundamental na contemporaneidade. Através de entrevistas entre alunos da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e Fundação Getúlio Vargas, pôde-se averiguar que, apesar de ter se tratado de uma pesquisa qualitativa, os estudantes da primeira universidade, em sua maioria, afirmaram que a criatividade não foi desenvolvida em sala de aula ao longo do curso. Foram entrevistados também alunos da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais que fazem parte de grupos de pesquisa ou projetos de extensão com o intuito de verificar de perceberam o desenvolvimento da criatividade nesses espaços. Procurou-se, assim, fomentar o aperfeiçoamento dos cursos jurídicos apresentando algumas metodologias, em especial o ensino do Direito com a Arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, Sérgio. Os aprendizes do poder: o bacharelismo liberal na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

BASTOS, Aurélio Wander. A crise Brasileira e perspectivas do ensino jurídico. Revista Jurídica: Faculdade de Direito PUCCAMP. Campinas (SP), v. 10, p. 42-52, 1994. ISSN 0103-5622. Brasília-DF, 12 de jun. p. 24, 2015.

CARVALHO, Leonardo Arquimimo de. Diálogo Socrático. In: GHIRARDI, José Garcez (Org.). Métodos de ensino em direito: conceitos para um debate. São Paulo: Saraiva, 2009

FARIA, Adriana Ancona. A formação de novas competências: articulação da grade curricular e de metodologias participativas no curso da DIREITO GV. In: COUTO, Mônica Bonetti; SANCHES, Samyra Haydêe Dal Farra Naspolini; SILVEIRA, Vladmir Oliveira da (Org.). Educação Jurídica. São Paulo: Saraiva, 2013.

FARIA. José Eduardo. A Reforma do Ensino Jurídico. Porto Alegre: Fabris, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GABBAY, Daniela Monteiro; SICA, Ligia Paula Pires Pinto. Role-Play. In: GHIRARDI, José Garcez (Org.). Métodos de ensino em direito: conceitos para um debate. São Paulo: Saraiva, 2009

GARCEZ, José. Artes e Direito: as construções do sentido. In: GHIRARDI, José Garcez; VANZELLA, Rafael Domingos Falardo (Org.). Ensino Jurídico Participativo: construção de programas, experiências didáticas. São Paulo: Saraiva, 2009. p.p. 213-221.

GARCEZ, José. Se uma noite de inverno: ensinando Artes e Direito, em Pedro Fortes (ed), Ensino Jurídico e Cultura Pop, Rio de Janeiro: FGV (2015), Volume 11 da série Cadernos FGV Direito Rio.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Portaria n. 236, de 10 de junho de 2015. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 12 de jun. p. 24, 2015.

JUNIOR, Tércio Sampaio Ferraz. O ensino jurídico. Encontros da UnB. Ensino Jurídico, Brasília, p.67-71, 1978-1979.

LACERDA, Gabriel. Direito e ópera: estímulos a uma percepção sensível do Direito, em Pedro Fortes (ed), Ensino Jurídico e Cultura Pop, Rio de Janeiro: FGV (2015), Volume 11 da série Cadernos FGV DIREITO RIO.

LYRA FILHO, Roberto. O direito que se ensina errado. Brasília: Centro Acadêmico de Direito da UNB, 1980.

MACHADO, Ana Mara França; BARBIERI, Catarina Helena Cortada. Seminário. In: GHIRARDI, José Garcez (Org.). Métodos de ensino em direito: conceitos para um debate. São Paulo: Saraiva, 2009

NUNES, Rizzatto. Apontamentos para uma crítica à Pedagogia no curso de Direito. Revista do Instituto de Hermenêutica Jurídica, Porto Alegre, n.3, p.175-194, 2005. ISSN 1678-1864.

OLIVEIRA, Pablo Alves de. O ódio à educação e a democratização radical da educação jurídica através da aprendizagem mediada significativa: proposta de um novo modelo para os cursos de Direito (Ou como transformar a sala de aula numa mesa de bar?). 2017. 281 f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Direito, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

PEARSON EDUCATION DO BRASIL. Criatividade e Inovação. Academia Pearson. São Paulo : Pearson Prentice Hall, 2011.

PEIXOTO, Daniel Monteiro. Debate. In: GHIRARDI, José Garcez (Org.). Métodos de ensino em direito: conceitos para um debate. São Paulo: Saraiva, 2009

PERRENOUD, Philippe. Desenvolver competências ou ensinar saberes? A escola que prepara para a vida. Porto Alegre: Penso, 2013.

PREDEBON, José. Criatividade: abrindo o lado inovador da mente. 8 ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2013.

RAMOS, Luciana de Oliveira; SCHORSCHER, Vivian Cristina. Método do caso. In: GHIRARDI, José Garcez (Org.). Métodos de ensino em direito: conceitos para um debate. São Paulo: Saraiva, 2009

ROCHA, Leonel Severo; COSTA, Bárbara Silva. Ensino do Direito e Percepção Discentes: contribuições Waratianas para a construção da pedagogia do novo. In: COUTO, Mônica Bonetti; SANCHES, Samyra Haydêe Dal Farra Naspolini; SILVEIRA, Vladmir Oliveira da (Org.). Educação Jurídica. São Paulo: Saraiva, 2013.

RODRIGUES, André. Por que privilegiar o desenvolvimento de competências? Relato de uma aula de Direito Contratual. In: GHIRARDI, José Garcez; VANZELLA, Rafael Domingos Falardo (Org.). Ensino Jurídico Participativo: construção de programas, experiências didáticas. São Paulo: Saraiva, 2009. p.p. 27-72.

SCABIN, Flávia; ACCA, Thiago. Clínica e Direito. In: GHIRARDI, José Garcez (Org.). Métodos de ensino em direito: conceitos para um debate. São Paulo: Saraiva, 2009

STRECK, Lênio. Hermenêutica Jurídica e(m) crise: uma exploração hermenêutica da construção do Direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2014.

VARGAS, Daniel. Jurista Criativo. Cadernos FGV Direito Rio, vol. 9, 2014. pp 83-104.

VENÂNCIO FILHO, Alberto. Análise histórica do Ensino Jurídico no Brasil. Encontros da UnB. Ensino Jurídico, Brasília, p.9-35, 1978-1979.

VENANCIO FILHO, Alberto. Das arcadas ao bacharelismo. São Paulo: Perspectiva, 1982.

WARAT, Luis Alberto. Manifestos para uma ecologia do desejo. São Paulo: Acadêmica, 1990.

Publicado
19-09-2021
Seção
Artigos de Discentes e Egressos