A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES E A PORNOGRAFIA ATRAVÉS DA TEORIA DE CATHARINE MACKINNON

  • Aciely Mendes Barcelos
Palavras-chave: Catharine MacKinnon, Pornografia, Violência, Direito

Resumo

O presente trabalho trata da questão cultural prevista nas sociedades patriarcais, referentes à submissão e dominação das mulheres, à luz da teoria proposta pela feminista Catharine MacKinnon. Dessa forma, a autora destaca em suas obras o papel da mídia pornográfica na representação da figura feminina como um objeto, isto é, elas assumem papeis vinculados à sexualidade, visando a satisfação de desejos masculinos. Assim, vê-se que a pornografia se constrói como um instrumento responsável pela naturalização da perspectiva discriminatória em relação às mulheres nos diversos âmbitos da sociedade. Nesse sentido, fica claro os obstáculos para a efetivação da igualdade de gênero. Além disso, também se apresenta como um importante aspecto de seu estudo, especialmente no seu livro Only Words, a questão do direito e regulamentação da pornografia. Sob essa ótica, Mackinnon é contrária ao entendimento de que as cenas pornográficas seriam apenas reconhecidas como um discurso responsável por gerar difamação. Portanto, em oposto ao que é declarado pela lei, ela busca demonstrar que a pornografia constitui atos de discriminação, uma vez que implicam verdadeiras ações de violência, que geram segregação. Dessa maneira, explicita que o direito não pode assumir uma posição neutra, a fim de garantir meios para que as mulheres possam ser reconhecidas como sujeitos de direito da sua própria história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. Fatos e mitos. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1970.

DWORKIN, MACKINNON, Catharine. Pornography and Civil Rights: a New Day for Women’s Equality. 2a edição. Minneapolis: Organizing Against Pornography, 1989.

GRATON, Isabela Alves. O DNA da Dominação Masculina: pornografia e violência contra as mulheres. 2019. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Comunicação Social) – Faculdade de Comunicação, Universidade de Brasília, Brasília, 2019. Disponível em: https://bdm.unb.br/handle/10483/26514. Acesso em: 21 jan. 2022.

HALD, G. M. (2006). Gender differences in pornography consumption among young heterosexual Danish adults. Archives of Sexual Behavior, 35, 577–585. 2018 Year in Review. Pornhub, 11 dez 2018. Disponível em: https://bit.ly/3quQWVO. Acesso em: 19 jan. 2022.

HOT girls wanted. Direção: Jill Bauer, e Ronna Gradus. Produção de Rashida Jones, Jill Bauer, Ronna Gradus, Brittany Huckabee. Estados Unidos da América. Netflix, 2015. Documentário.

LOUISE, Vitória. 2016. A indústria pornográfica e o machismo. Disponível em: https://averdade.org.br/2016/08/industria-pornografica-e-o-machismo/. Acesso em: 16 mar.2021.

MACKINNON, Catharine A. Hacia uma teoria feminista del estado. Madrid: Ediciones Catedra, 1995.

MACKINNON, Catharine. Only Words. Harvard University Press, 1993. Disponível em: https://foundationsofgenderstudies.files.wordpress.com/2013/01/catharine-mackinnononly-words.pdf Acesso em 23.03.2019.

MURARO, Cauê. 22 milhões de brasileiros assumem consumir pornografia e 76% são homens, diz pesquisa. Portal G1, [S. l.], 17 mai. de 2018. Disponível em: https://glo.bo/3qgU5rZ. Acesso em: 21 jan. 2022

RIBEIRO, Raisa Duarte da Silva. Discurso de ódio, violência de gênero e pornografia: entre a liberdade de expressão e a igualdade. 2016. Dissertação (Mestrado em Direito Constitucional) – Programa de Pós-graduação em Direito Constitucional, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3wNxF4g. Acesso em: 22 jan. 2022.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero. Patriarcado. Violência. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

SILVA, José Afonso. Curso de Direito Constitucional positivo. 25. ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2005. p. 178.

ZANETTI, Lucas; MOTTA, Thamires. Como a pornografia ajuda a justificar a normalização da violência contra as mulheres. Disponível em: https://jornalismoespecializadounesp.wordpress.com/2017/02/24/como-a-pornografia-ajudaa-justificar-a-normalizacao-da-violencia-contra-as-mulheres/. Acesso em: 05 mar. 2021.

Publicado
03-02-2022
Seção
Artigos de Discentes e Egressos