Considerações sobre a talha dourada em Minas Gerais - DOI: 10.5752/P.2316-1752.2013v20n26p55

  • Aziz José de Oliveira Pedrosa PUC Minas
Palavras-chave: Talha dourada, Estilos, Retábulos, Arquitetura.

Resumo

Importante elemento decorativo, a talha dourada se integra à
massa arquitetônica, compõe e ordena os espaços internos
das igrejas setecentistas. Na Capitania de Minas, a produção
da talha foi influenciada pelo repertório artístico vigente na
Europa, principalmente em Portugal, configurando-se, dessa
forma, em importante veículo divulgador das novidades e modismos
em voga no universo das artes. Assim, este estudo
traz à reflexão considerações sobre a talha retabular em Minas
Gerais e seus diversos aspectos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aziz José de Oliveira Pedrosa, PUC Minas
Doutorando em Arquitetura e Urbanismo
pela UFMG, mestre em Arquitetura
e Urbanismo pela UFMG, especialista
em História e Cultura da Arte
pela UFMG, graduado em Design pela
UEMG, professor do Centro Universitário
Newton Paiva.

Referências

ÁVILA, Affonso; GONTIJO, João Marcos Machado; MACHADO, Reinaldo Guedes. Barroco mineiro: glossário de arquitetura e ornamentação. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro; Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1996.

ALVIM, Sandra. Arquitetura religiosa colonial no Rio de Janeiro: revestimentos, retábulos e talha. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.

ARQUIVO do Escritório Técnico II do IPAHN – São João del-Rei. Inventário, 1765 – Noronha, José Coelho de. Inventariante: Leitão, Sebastião Ferreira. Caixa: 345, fl. 21

BAZIN, Germain. A arquitetura religiosa barroca no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 1983.

BORGES, Nelson Correia. Do barroco ao rococó. In: BORGES, Nelson Correia. História da arte em Portugal. Lisboa: Publicações Alfa, 1986. v. 8.

FERREIRA, Sílvia Maria Cabrita Nogueira Amaral da. A talha dourada do altar-mor da Igreja de Santa Catarina, em Lisboa. 2002. 3v. Dissertação (Mestrado em História) – Departamento de História, Universidade Lusíada de Lisboa, Lisboa.

FERREIRA, Sílvia Maria cabrita Nogueira Amaral da. A talha barroca de Lisboa (1670-1720): os artistas e as obras. 2009. 3v. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Letras, Departamento de História, Universidade de Lisboa, Lisboa.

HILL, Marcos. A coluna salomônica: uma perspectiva histórica sobre um elemento ornamental. Revista Barroco, Belo Horizonte, n. 17, p. 231-236, 1993/1996.

HINTZEN-BOHLEN, Brigitte. Arte y arquitectura. Roma: Konemann; Barcelona, 2005.

MOURA, Carlos. O limiar do Barroco. História da arte em Portugal. Lisboa: Publicações Alfa, 1986. v. 8.

OLIVEIRA, Myriam Andrade Ribeiro de. O rococó religioso no Brasil e seus antecedentes europeus. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

PEDROSA, Aziz José de. José Coelho de Noronha: artes e ofícios nas Minas Gerais do Século XVIII. 2012. 313f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Arquitetura, Belo Horizonte.

PEREIRA, José Fernandes (Dir.). Dicionário da arte barroca em Portugal. Lisboa: Presença, 1989.

POZZO, Andrea. Perspectiva Pictorum et Architectorum, Prospettiva de pittori, e architetti / d'Andrea Pozzo, 2 vols., Roma, Stamperia di Antonio de Rossi, 1737-1741.

SERRÃO, Vitor. História da arte em Portugal: o Barroco. Lisboa: Editorial Presença, 2003.

SOUZA, Wladimir Alves de (Coord.). Guia dos bens tombados de Minas Gerais. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1983.

SMITH, Robert C. A talha em Portugal. Lisboa: Livros Horizontes, 1962.

TEIXEIRA, José Monterroso. Aleijadinho, o teatro da fé. São Paulo: Metalivros, 2007.

Publicado
05-02-2014