Para que filosofia? E alguns impasses no processo de ensino de filosofia.

  • Maria Dulce Reis Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Palavras-chave: Palavras-chave, Educação, ensino de filosofia.

Resumo

RESUMO

 

O presente artigo discorre sobre a questão: “para que filosofia?” e sobre os impasses encontrados pelos professores de filosofia no ensino de disciplinas filosóficas para cursos de outras áreas. Reflete sobre a filosofia como sintoma e remédio, as dificuldades junto às instituições de ensino e seus diversos atores, bem como sobre impasses na relação professor-aluno em sala-de-aula. Sugere, no decorrer do texto, algumas alternativas metodológicas para o processo de ensino de disciplinas filosóficas.  Palavras-chave: Educação; ensino de filosofia.

 

ABSTRACT

 

The paper is concerned with the question: "What is philosophy good for?", and with the difficulties related to the teaching of philosophyto other branches of knowledge. A critial thought is taken over the role of philosophy as symptom and medicine, the difficulties with the learning institutions and its several characters, and with the relation student-teacher in the process of learning. It is suggested, throughout the paper, some methodological alternatives to the learning process of philosophical subjects.

 

Keywords: Education; teaching of philosophy.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Dulce Reis, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Professora de Filosofia do Departamento de Filosofia da PUCMINAS
Publicado
07-04-2010
Como Citar
Reis, M. D. (2010). Para que filosofia? E alguns impasses no processo de ensino de filosofia. Sapere Aude, 1(1), 55 - 65. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/SapereAude/article/view/1094
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT