Corrosão da racionalidade estética em Eurípides segundo O Nascimento da Tragédia de Nietzsche

  • Andrelino Ferreira dos Santos Filho PUC Minas

Resumo

A discussão pretende analisar elementos do estetismo de Nietzsche em O Nascimento da Tragédia e sua aplicação na leitura do prólogo da Medeia de Eurípides. Trata-se de apresentar as condições de possibilidade do intercâmbio entre os domínios da arte, da cultura e do humano propriamente dito através da apreensão dos fundamentos da realidade fenomênica pela via da experiência estética. O estético é a via de compreensão do humano e de suas contradições pacificadas e/ou negadas pela cultura no seu momento genético expresso na tragédia euripidiana.

The discussion aims to examine elements of Nietzsche’s aestheticism in The Birth of Tragedy and its application in reading the prologue of Euripides' Medea. It presents the conditions of possibility of the exchange between the fields of art, culture and the human itself by seizing the fundamentals of phenomenal reality through aesthetic experience. The aesthetic is a way of understanding human and its pacified contradictions and / or denied by the culture in its genetic moment expressed in Euripidean tragedy.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrelino Ferreira dos Santos Filho, PUC Minas
Doutor em Estudos Literários – FALE/UFMG; Mestre em Filosofia – FAFICH/UFMG; Professor de Filosofia na PUC Minas
Publicado
03-12-2014
Como Citar
Santos Filho, A. F. dos. (2014). Corrosão da racionalidade estética em Eurípides segundo O Nascimento da Tragédia de Nietzsche. Sapere Aude, 5(10), 203-222. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/SapereAude/article/view/8642
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: DOSSIÊ/DOSSIER