A FUNÇÃO DOCENTE COMO INTELECTUAL EMANCIPADO:

A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES PARA ALÉM DA TÉCNICA DE ENSINO

Palavras-chave: Educação, Intelectual, Emancipado, Democracia, Cidadania

Resumo

O objetivo deste ensaio é colocar em evidência alguns apontamentos para se pensar a função do professor como intelectual emancipado nas relações de ensino e aprendizagem que ocorrem em sala de aula. O processo formativo do sujeito no âmbito escolar encontra-se na dificuldade da construção da proposta de ensino como lugar para se fazer no espaço do comum da sala de aula a partilha da cultura escolar. A metodologia utilizada encontra-se no campo da teoria crítica, no sentido da apropriação do conceito filosófico referente ao lugar do sujeito no campo da cultura, que pode encontrar-se em pensar o outro numa relação de igualdade que se pauta do diálogo ou na oposição da desigualdade em que um manda e o outro obedece. A partir dessa análise, pode-se concluir que a educação escolar se encontra no paradoxo da desigualdade e que isso deveria ser eliminado para a construção da sociedade plenamente democrática e participativa. O enfrentamento dessa contradição constitui o trabalho em sala de aula como lugar da realização da função docente como intelectual e emancipado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Rodrigues, Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI

Graduado em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp. Especialista em Teorias e Métodos de Pesquisa pela Unicamp. Mestre em Educação pela Unicamp. Doutor em Educação pela Unicamp. Possui Pós-Doutorado em Filosofia da Educação pela Universidade de São Paulo. Professor Titular da Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI.

 

REFERÊNCIAS

BLACK,   Escolarizando  o  mundo:  o  último  fardo  do  homem  branco(Schooling the World). EUA/Índia: 2011. 126 minutos.

CHAUI,    A  ideologia  da  competência.   Belo   Horizonte:   Autêntica   Editora, 2016.

GHIRALDELLI JR,        A    Filosofia    como    desbanalização    do    Brasil.    Disponível      em: https://www.portalentretextos.com.br/index.php/post/a-filosofia-como-desbanalizacao-do-brasil. Acessado    em    30    jan. 2023.

FREUD,   Algumas  reflexões  sobre  a  psicologia  do  escolar  (1914).  In:  ________. Obras  Completas.  v.  XIII.  Trad.  Jayme  Salomão.  Rio  de  Janeiro:  Imago, 1990.

KOSIK,    O   mundo   da   pseudoconcreticidade   e   a   sua   destruição.   ________. Dialética do Concreto. Trad. Célia Neves e Alderico Toríbio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

LAFER,   Da  dignidade  da  política:  sobre  Hannah  Arendt.  In:  ARENDT, Hannah. Entre  o  passado  e  o  futuro.  Trad.  Mauro  W.  Barbosa.  São  Paulo: Perspectiva, 2011.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. Sobre uma degradação geral da vida escolar. In: Educação Temática Digital, Campinas, v.10, n.2, p.157-168, jun. 2009.

LARROSA,   Pedagogia  Profana:  danças,  piruetas  e  mascaradas.  Trad.  Alfredo Veiga-Neto. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LARROSA,   Impedir  que  o  mundo  se  desfaça.  In:  LARROSA,  Jorge  &  RECHIA,  Karen  Christine  &  CUBAS,  Caroline  Jaques  (Organizadores).Elogio do Professor. Trad. Fernando Coelho; Karen Christine Rechia; Caroline Jaques Cubas. Belo Horizonte: Autêntica, 2021.

NAPOLEONI, Claudio. Lições sobre o capítulo sexto (inédito) de Marx. Trad. Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1981.

RANCIÈRE, Jacques. O espectador emancipado.    Ivone  C.  Benedetti.  São  Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2019.

RANCIÈRE,   Figuras  da  história.  Trad.  Fernando  Santos.  São  Paulo:  Editora Unesp, 2018.

RANCIÈRE,   Prefácio  ao  Le  Philosophe  et  ses  pauvres.  Rapsódia, [S.  l.], v. 1, n.           11,           p.           33           -43,           2017.           Disponível           em:           https://www.revistas.usp.br/rapsodia/article/view/143784.  Acesso  em:  19  jan.  2023.

RODRIGUES, Rogério. Apontamentos  críticos  referentes  à  cartografia  sobre  a  compreensão     em     ser     professor     de     verdade     a     partir     de     Jacques     Rancière. In: Revista Ciências  Humanas    Taubaté: Universidade  de  Taubaté, Vol. 13, No 1, jan/abr, 2020.

RODRIGUES, Rogério. O elogio da escola como lugar específico em que ocorre o ensinar  e  o    In:  Revista  Brasileira  de  Estudos  Pedagógicos  (RBEP),  Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP/MEC). V. 103, N. 264, Maio/ago, 2022.

VARELA, O  estatuto  do  saber  pedagógico.  In:  SILVA,  Tomaz  Tadeu  da  (Org.). O sujeito da educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

 

Publicado
17-08-2023
Como Citar
Rodrigues, R. (2023). A FUNÇÃO DOCENTE COMO INTELECTUAL EMANCIPADO:. @rquivo Brasileiro De Educação, 11(20), 76 - 95. https://doi.org/10.5752/P.2318-7344.2023v11n20p76 - 95