A GAMIFICAÇÃO COMO RECURSO METODOLÓGICO NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

CONTRIBUIÇÕES NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

  • Ludmila Salomão Venâncio Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG
  • Tatiane Letícia Maia Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG
  • Viviane Milena Maia Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG
Palavras-chave: gamificação; metodologias ativas; processo de ensino-aprendizagem

Resumo

As metodologias ativas, utilizadas como ferramentas pedagógicas, vêm se tornando um recurso didático potencializador do processo de ensino-aprendizagem. Neste contexto, destaca-se a gamificação, uma técnica das metodologias ativas, que tem por objetivo incentivar os estudantes a aprenderem de forma autônoma e participativa, por meio de problemas e situações reais, com elementos comuns a jogos, visando a estimular o desenvolvimento cognitivo do sujeito em processos de construção de conhecimento. Assim, este artigo apresenta uma pesquisa que teve por objetivo compreender as contribuições da gamificação, enquanto técnica das metodologias ativas, no processo de ensino-aprendizagem dos estudantes dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Para tanto, teve como objetivos específicos: aprofundar as discussões e as reflexões que permeiam as metodologias ativas no Ensino Fundamental; analisar as características da gamificação e investigar os processos motivacionais no engajamento dos alunos com a atuação da gamificação no âmbito escolar; e descrever as habilidades emocionais e cognitivas que perpassam o processo de ensino-aprendizagem. A coleta de dados foi realizada através de entrevistas semiestruturadas com a coordenadora e os professores de uma escola privada, do município de Contagem, que utiliza a plataforma Minecraft Education Edition em suas práticas pedagógicas e objetivou identificar as situações favorecedoras de ensino e de aprendizagem. Ressalta-se, por fim, as contribuições da gamificação, como recurso metodológico, que tem possibilitado diversas situações favorecedoras ao ensino, auxiliando os alunos em seu processo de aprendizagem, além de estimular elementos como a criatividade, a colaboração, a solução de problemas e o desenvolvimento cognitivo e emocional dos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ludmila Salomão Venâncio, Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG

Doutora e Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Especialista em Gestão Estratégica da  Informação  pelo  Centro  Universitário  UNA  e  Graduada  em  Tecnologia  da Informação  pelo  Centro  Universitário  Newton  Paiva.  Docente do Departamento de Ciências Humanas e Fundamentos da Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG - Ibirité.

Tatiane Letícia Maia, Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG

Licenciada em Pedagogia pela Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG. Especialista em Gestão Escolar pelo  Centro  Universitário  UNA. Assistente de Educação na Escola Sesi Hamleto Magnavacca.

Viviane Milena Maia, Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG

Licenciada em Pedagogia pela Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG. Especialista em Gestão Escolar pelo  Centro  Universitário  UNA. Auxiliar de Coordenação Pedagógica na Escola Sesi Hamleto Magnavacca.

 

REFERÊNCIAS

BEHRENS, M. A. Metodologia de projetos: aprender e ensinar para a produção do conhecimento numa visão complexa. In: TORRES, P. L. (org.). Complexidade: redes e conexões na produção do conhecimento. Curitiba: Senar, 2014. p. 95-116.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011.

COUTINHO, Cacilda. As tecnologias, a metodologia ativa e a educação brasileira. In: VIEIRA, Patrícia (org.). Metodologias Ativas: modismo ou inovação. Quirinópolis: Igm, 2021. p. 123-138.

DAROS, Thuinie. Metodologias ativas: aspectos históricos e desafios atuais. In: CAMARGO, Fausto; DAROS, Thuinie. A sala de aula inovadora: estratégias pedagógicas para fomentar o aprendizado ativo. Porto Alegre: Penso, 2018. p. 8-15.

FARDO, Marcelo Luis. A gamificação como estratégia pedagógica: estudo de elementos dos games aplicados em processos de ensino e aprendizagem. Orientadora: Carla Beatriz Valentini. 2013. 106 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Caxias do Sul, 2013.

GADOTTI, Moacir. Diversidade cultural e educação para todos. Rio de Janeiro: Graal. 1992.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LIBÂNEO, José Carlos. Os métodos de ensino. São Paulo: Cortez, 1994.

MORAN, José. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C. A.; TORRES-MORALES, O. E. (org.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens. Ponta Grossa, PR: UEPG, 2015. p. 15-33.

MORAN, José. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: BACICH, Lilian; MORAN, José (org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018. Parte I.

MORATORI, B. Por   que   utilizar   jogos   educativos   no   processo   de   ensino aprendizagem? Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4675248/mod_resource/content/1/ Por%20que%20utilizar%20Jogos%20Educativos%20no%20processo%20de%20 ensino%20aprendizagem%20.pdf   Acesso   em:    02 maio 2022. 

MORR, C. E.; FERRARI, G. Entendendo e aplicando a gamificação: o que é, para que serve, potencialidades e desafios. UFSC. E-BOOK. 2020. Disponível em: https://sead.paginas.ufsc.br/files/2020/04/eBOOK-Gamificacao.pdf. Acesso em: 10 jun. 2022.

ORLANDI, Tomas Roberto Cotta et al. Gamificação: uma nova abordagem multimodal para a educação. Biblios, Pittsburgh, n. 70, p. 17-30, 2018.

SANTAELLA, Lucia. Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação. São Paulo: Editora Paulus, 2013.

SANTOS, Wilner Pereira; SANTOS, Rosa Maria Ferizolla dos; SANTOS, Patrícia Vieira. Novas formas de ensinar e aprender matemática, numa perspectiva das metodologias ativas. In: VIEIRA, Patrícia (org.). Metodologias Ativas: modismo ou inovação. Quirinópolis: Igm, 2021. p. 39-56.

SILVA, A.;  DELGADO,  O.  Carrasco.  O  processo  de  ensino-aprendizagem  e  a  prática docente: reflexões. Revista Espaço Acadêmico, Serra, v. 8, n. 2, p. 40-52, 2018.

SILVA, Renildo Franco da.; CORREA, Emilce Sena. Novas tecnologias e educação: a evolução do processo de ensino e aprendizagem na sociedade contemporânea. Educação & Linguagem, ano 1, n. 1, p. 23-35, jun. 2014.

TEIXEIRA, A. Educação para a democracia. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1997.

VIANNA, Ysmaret al.Gamification, Inc.: como reinventar empresas a partir de jogos. Rio de Janeiro: MjvPress, 2013. 118 p. Disponível em: https://acervo-digital.espm.br/E-BOOKS/2020/365430.pdf. Acesso em: 04 jun. 2022.

 

Publicado
17-12-2023
Como Citar
Salomão Venâncio, L., Letícia Maia, T., & Milena Maia, V. (2023). A GAMIFICAÇÃO COMO RECURSO METODOLÓGICO NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM. @rquivo Brasileiro De Educação, 11(20), 324-343. https://doi.org/10.5752/P.2318-7344.2023v11n20p324-343