Linhas melódicas em terceira pessoa

  • Maria Cecília Gonçalves de Carvalho UNIMONTES-MG
Palavras-chave: literaturas de língua portuguesa, linguística, filologia

Resumo

Este artigo aborda a musicalidade e a sonoridade como recursos estéticos e estilísticos recorrentes no livro A cidade ilhada, de Milton Hatoum. Percebemos que o livro de contos de Hatoum pode ser analisado pela perspectiva das vozes harmônicas ou linhas melódicas relacionadas às vozes da consonância, do contraponto e da dissonância dentro da construção narrativa. Neste artigo, analisaremos a presença da música e da sonoridade na escrita de Milton Hatoum, por meio da observação da construção rítmica e melódica de um dos contos. Este faz parte do conjunto denominado por nós de contraponto, ou vozes em terceira pessoa, seguindo a perspectiva de que estes são, dentro do conjunto, linhas melódicas ou vozes sobrepostas que mantêm a sua independência, mas que podem ser agrupados porque além de possuírem recursos rítmicos peculiares em sua construção, possuem uma relação direta com outras artes.

Palavras-chave: Literatura. Música. Sonoridade. Conto brasileiro. Milton Hatoum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBEITAS, FlávioTerrigno. A música habita a linguagem: Teoria da música e noção de musicalidade na poesia.Tese (Doutorado em Estudos Literários ) Belo Horizonte:UFMG, 2007.

BENNETT, Roy. Uma breve história da música. Rio de Janeiro: Zahar, 1986.

BOSI, Alfredo. O conto brasileiro contemporâneo. São Paulo: Cultrix, 1979.

BUARQUE, CHICO; HIME, FRANCIS. Atrás da porta. Disponível em http://letras.terra.com.br/chico-buarque . Disponível em 26 Jul 2010.

HATOUM, Milton. Acidade ilhada. São Paulo: Cia das Letras, 2009.

HATOUM, Milton. DTLLC-FFLCH-USP. Projeto voz do escritor. Departamento de teoria literária e Literatura comparada da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. USP. São Paulo, 2008.

LIMA Cinira Leôncio, de. Narrativas e canções: intertextualidades. Tese (Mestrado em letras) Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Três Lagoas, 2008.

LIMA, Luiz Costa. Intervenções. São Paulo: editora da USP, 2002.

MAGNANI, Sérgio. Expressão e comunicação na linguagem da música. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1996.

MED, Bohumil. Teoria da música - 4ª Ed. São Paulo.1996.

MOREIRA, Maria Luiza Almada. Metáforas do exílio. Dissertação de mestrado. UFMU, 2007.

OLIVEIRA, Márcia Ramos. Oralidade e Canção. In LOPES, Antonio Herculano; VELLOSO, Monica Pimenta; PESAVENTO, Sandra Jatahy. (Org.) História e linguagens: texto, imagem, oralidade e representações. Rio de Janeiro: 7letras, 2006

OLIVEIRA, Solange Ribeiro de. Leituras intersemióticas: a contribuição da melopéia para os estudos culturais. São Paulo: Perspectiva. Cadernos de Tradução Cultural, 2003.

OLIVEIRA, Solange Ribeiro de. Literatura e música: modulações pós-coloniais. São Paulo: Perspectiva, 2002.

OLIVER, Nelson. Todos os nomes do mundo. Rio de Janeiro: Ediouro, 2005

SCHAFER, R. Murray. A afinação do Mundo. São Paulo, UNESP, 1991.

SCHAFER, R. Murray. O ouvido pensante. São Paulo: EDUSP, 2001.

SZATKOVSKI, Inês Valéria. A dupla face trovadoresca de Chico Buarque: o eu feminino e a representação da mulher. Tese (Mestrado em Letras) Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2005.

TAVARES, Hênio Último da Cunha. Teoria Literária. 7ª ed. Belo Horizonte: Itatiaia Limitada,1981.

TRAGTENBERG, Lívio. Contraponto: uma arte de compor sem duvida. Editora USP, 2002.

WERNECK, Humberto. Chico Buarque letra e música. São Paulo: Cia. das Letras. 1989.

WISNIK, José Miguel. O som e o sentido: uma outra história das músicas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

Publicado
03-05-2013
Como Citar
de Carvalho, M. C. G. (2013). Linhas melódicas em terceira pessoa. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, 1(22), 31-39. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/8115