Memórias do cárcere: um cárcere de memórias

  • Joyce Rodrigues Silva Gonçalves PUC Minas
Palavras-chave: literaturas de língua portuguesa, linguística, filologia

Resumo

Este trabalho, tendo como objetivo analisar a obra Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos, pretende fazer um recorte temático em torno da escrita autobiográfica e da experiência vivida pelo autor na prisão nos anos de 1936 e 1937. Será abordada ainda a questão da possível ficção autobiográfica em alguns momentos da narrativa e seus desdobramentos no registro de seu relato de testemunho.

Palavras chave: Memórias do cárcere. Autobiografia. Ficção autobiográfica.v

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOSI, Alfredo. A escrita do testemunho em Memórias do Cárcere. In: BOSI, Alfredo. Literatura e resistência. São Paulo, 1992.

BRUSS, Elizabeth. Autobiographical acts. The changing situation of a literary genre. Johns Hopkins University Press, 1976, Baltimore, London.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico. In: LEJEUNE, Philippe. De Rousseau à internet. Belo Horizonte, UFMG, 2008.

MARCO, Valéria de. A literatura de testemunho e a violência de Estado. In: Lua Nova, n.62, 2004.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. In: Estudos Históricos, vol.2, n.3, 1989.

RAMOS, Graciliano. Memórias do cárcere. vol. I e II. São Paulo: Martins, 1969.

RAMOS, Graciliano. Memórias do cárcere. Prefácio de Nelson Werneck Sodré. São Paulo: Martins, 1969.

Publicado
03-05-2013
Como Citar
Gonçalves, J. R. S. (2013). Memórias do cárcere: um cárcere de memórias. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, 1(22), 49-57. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/8120