Melancolia, devaneio e poeticidade em “Buriti”

  • Elisabete Brockelmann de Faria
Palavras-chave: Discurso poético. Melancolia. Devaneio. Guimarães Rosa.

Resumo

O trabalho analisa o vínculo entre a melancolia e o devaneio na criação e manutenção do discurso poético em “Buriti”, de Guimarães Rosa, parte da obra Corpo de baile. Através de três personagens centrais – Miguel, Maria Behu e Chefe Zequiel – imprime-se a tonalidade melancólica, que propicia o devaneio e o lamento, associados ao modo de ser introspectivo e sensível. Além do exame das personagens selecionadas, são analisados elementos do espaço e do tempo que, dada a atmosfera noturna do texto, contribuem na disseminação da poeticidade discursiva, alicerçada, portanto, no tripé personagens, espaço e tempo. Para o estudo da narrativa como um todo, conta-se com a obra de Wendel Santos sobre “Buriti”, A construção do romance em Guimarães Rosa, seguida da leitura das cartas trocadas entre o escritor e seu tradutor em Correspondência com seu tradutor italiano Edoardo Bizzarri. Para fundamentar a análise dos recursos poéticos, valese de O ser e o tempo da poesia, de Alfredo Bosi e “Em torno da poesia” de Tzvetan Todorov. Para o exame do tempo e do espaço, associados ao devaneio e à melancolia, a contribuição teórica centra-se nas obras A poética do espaço e A poética do devaneio de Gaston Bachelard e As estruturas antropológicas do imaginário de Gilbert Durand. Os resultados da análise confirmam que a poeticidade do discurso da narrativa tem estreita conexão com o modo de ser melancólico, o que o devaneio alimenta e propaga, ad infinitum.


Palavras-chave: Discurso poético. Melancolia. Devaneio. Guimarães Rosa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisabete Brockelmann de Faria

Centro Universitário da Fundação de ensino Octávio Bastos (UNIFEOB) e Centro Universitário da Fundação Educacional de Guaxupé (UNIFEG). Doutora em Letras - Estudos Literários.

Referências

ARAÚJO, Heloísa Vilhena. O roteiro de Deus: dois estudos sobre Guimarães Rosa. São Paulo: Mandarim, 1996.

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos: ensaio sobre a imaginação da matéria. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

BACHELARD, Gaston. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BOSI, Alfredo. O ser e o tempo da poesia. 6. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

CASCUDO, Luís da Câmara. Locuções tradicionais no Brasil. Rio de Janeiro: FUNARTE, 1977.

COUTINHO, Eduardo Frederico. Guimarães Rosa e o processo de revitalização da linguagem. In: COUTINHO, Eduardo Frederico (Org.) Guimarães Rosa. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira/INL, 1991. p. 170-178.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FRYE, Northrop. Anatomia da crítica. São Paulo: Cultrix, 1973.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

LEONEL, Maria Célia. Guimarães Rosa alquimista: processos de criação de texto. Tese (Doutorado em Letras) São Paulo: Universidade de São Paulo, 1985.

LIMA, Luiz Costa. O buriti entre os homens ou o exílio da utopia. In: LIMA, Luiz Costa. A metamorfose do silêncio: análise do discurso literário. Rio de Janeiro: Eldorado, 1975. p. 129-186.

MACHADO, Ana Maria. Recado do nome: leitura de Guimarães Rosa à luz do nome de seus personagens. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 2001.

MARTINS, Nilce Sant’Anna. O léxico de Guimarães Rosa. 2. ed. São Paulo: EDUSP, 2001.

ROSA, João Guimarães. Campo geral. In: Rosa, João Guimarães. Manuelzão e Miguilim. 8. ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1977. p. 5-103.

ROSA, João Guimarães. Buriti. In: ROSA, João Guimarães. Noites do sertão. 5. ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1976. p. 83-251.

ROSA, João Guimarães. Correspondência com seu tradutor italiano Edoardo Bizzarri. São Paulo: T.A. Queiroz/ Instituto Ítalo-Brasileiro, 1981.

SANTOS, Wendel. A construção do romance em Guimarães

Rosa. São Paulo: Ática, 1978.

STAIGER, Emil. Conceitos fundamentais da poética. Rio de

Janeiro: Templo Universitário, 1977.

TODOROV, Tzvetan. Em torno da poesia. In: TODOROV,

Tzvetan. Os gêneros do discurso. São Paulo: Martins Fontes,

p. 95-125

Publicado
07-11-2016
Como Citar
de Faria, E. B. (2016). Melancolia, devaneio e poeticidade em “Buriti”. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, (28), 42-53. https://doi.org/10.5752/P2358-3231.2016n28p42