Perspectivas críticas do "primeiro" Guimarães Rosa

  • Patrícia Morais Rosendo Universidade do Estado da Bahia - UNEB. Mestranda do Programa de pós-graduação em Estudos em Linguagem.
Palavras-chave: Guimarães Rosa. Crítica literária. Crítica de rodapé. Crítica acadêmica.

Resumo

obra de um escritor como Guimarães Rosa provoca diferentes pontos de vista entre os que encaram o desafio de estudá-la. Diante da multiplicidade interpretativa promovida por meio da produção literária do autor, uma primeira dificuldade em que a perspectiva crítica se depara é o desafio de buscar uma maneira para lidar com uma obra multifacetada e de múltiplas dimensões. Assim, objetiva-se por meio deste estudo conhecer e entender como foram recebidas suas primeiras publicações, considerando os diferentes posicionamentos da crítica literária. Procura-se oferecer maior destaque às apreciações divulgadas na efervescência das primeiras publicações do escritor, noticiada por meio da crítica jornalística, levando em consideração os aspectos positivos e negativos. Para tanto, foram analisados textos críticos da ocasião em que se processou a leitura inicial da obra – a partir da década de 1940. É preciso considerar que a recepção das primeiras publicações da obra de Rosa reproduz o momento da crítica literária no Brasil, marcado pelas polêmicas e embates travados nesse âmbito. Textos de Flora Süssekind, Eneida M. de Souza e Silviano Santiago norteiam a discussão, os quais se estendem a um referencial histórico sobre o processo de transformação ocorrido na crítica literária no Brasil
e a transição da crítica “não especializada” (crítica de rodapé) para a crítica especializada (crítica acadêmica). Esse período (décadas de 1940 e 1950) é um tempo de mudanças e implantação de novos modelos críticos, cujos desdobramentos se estendem até a contemporaneidade.


Palavras-chave: Guimarães Rosa. Crítica literária. Crítica de rodapé. Crítica acadêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Morais Rosendo, Universidade do Estado da Bahia - UNEB. Mestranda do Programa de pós-graduação em Estudos em Linguagem.
Mestra em Letras pelo Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), na linha de pesquisa Leitura, Literatura e Identidades. Bolsista CAPES. Integrante do grupo de pesquisa Literatura e Ensino: Tecendo identidades, imprimindo leituras da Universidade do Estado da Bahia. Foi pesquisadora de Iniciação Científica (2011). Graduada em Letras Vernáculas pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Referências

CALLADO, Antonio. Depoimentos sobre João Guimarães Rosa e sua obra. São Paulo: Nova Fronteira, 2011.

CÂNDIDO, Antônio. “O homem dos Avessos”. In: CÂNDIDO, Antônio. Tese e Antítese. 4.ed. – São Paulo: T. A. Queiroz, 2000.

COUTINHO, Eduardo F. “Guimarães Rosa: um alquimista da palavra”. In: COUTINHO, Eduardo F. Ficção completa de Guimarães Rosa, vol. I. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

LEENHARDT, Jacques. MARTINS, Maria Helena (Org.). “Crítica de arte e cultura no mundo contemporâneo”. In: Maria Helena (Org.). Rumos da Crítica. São Paulo: SENAC; Itaú Cultural, 2000.

LINS, Álvaro. “Uma grande estreia”. In: COUTINHO, Eduardo F. Ficção completa de Guimarães Rosa, vol. I. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

LORENZ, Günter. “Diálogo com Guimarães Rosa”. In: COUTINHO, Eduardo F. Ficção completa de Guimarães Rosa, vol. I. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

RAMOS, Graciliano. “Conversa de bastidores”. In: RAMOS, Graciliano. Linhas tortas. Rio de Janeiro: Record, 1986.

RAMOS, Graciliano. “Um livro inédito”. In: COUTINHOEduardo F. Ficção completa de Guimarães Rosa, vol. I. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

Revista Veja, 13/10/199. Edição 1.619. Acesso em: 10/01/2015. Disponível em: HYPERLINK “http://veja.abril.com.br/131099/p_142.html.%20Acesso%20em%2010/01/2015.N” http://veja.abril.com.br/131099/p_142.html. Acesso em 10/01/2015.N

ROSA, João Guimarães. Ficção completa vol. I. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

ROSA, João Guimarães. Ficção completa vol. II. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

ROSENFIELD, Holzermayr Kathrin. Grande sertão: veredas - Roteiro de leituras. Rio de Janeiro: Topbooks Editora, 2008.

SANTIAGO, Silviano. “A crítica literária no jornal”. In: SANTIAGO, Silviano. O cosmopolitismo de pobre: crítica literária e crítica cultural. Belo Horizonte: UFMG, 2004.

SILVA, Gutemberg da Mota e. “Grande sertão: veredas, 25 anos”. Minas Gerais, Belo Horizonte, 12 de set. 1981. Suplemento Literário.

SOUZA, Eneida Maria de. “Querelas da Crítica”. In: SOUZA, Eneida Maria de. Traço Crítico: ensaios. Rio de janeiro: UFRJ;Belo Horizonte: UFMG, 1993.

SOUZA, Eneida Maria de. “Os livros de cabeceira da crítica”. In: SOUZA, Eneida Maria de. Crítica Cult. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

SÜSSEKIND, Flora. “Rodapés, tratados e ensaios: a formação da crítica brasileira moderna.” In: SÜSSEKIND, Flora. Papéis Colados. 2. ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2003.

Templo Cultural Delfos. Guimarães Rosa e o Magma.Disponível em: http://www.elfikurten.com.br/2011/02/

guimaraes-rosa-e-o-magma.html.

VASCONCELOS, Sandra Guardini T. MARTINS, Maria Helena (Org.). “Apresentação de Jacques Leenhardt”. In: Maria Helena (Org.). Rumos da Crítica. São Paulo: SENAC; Itaú Cultural, 2000.

Publicado
07-11-2016
Como Citar
Rosendo, P. M. (2016). Perspectivas críticas do "primeiro" Guimarães Rosa. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, (28), 82-94. https://doi.org/10.5752/P2358-3231.2016n28p82